Não era bem isso

Publicado em 28 de janeiro de 2011

A qualquer momento, o deputado estadual Sebastião Miranda (PTB) devolverá ao governador Simão Jatene o cargo de Secretário Estadual de Obras, que ele aceitou sem querer aceitar.

A direção do PTB já foi comunicada dessa posição do ex-prefeito de Marabá, e, numa reunião que deverá ocorrer neste final de semana, o partido  indicará o nome do deputado estadual  Eduardo Costa para ficar no lugar de Miranda.

Enquanto Joaquim Passarinho, primeiro suplente de deputado, não for colocado na Assembleia, o PTB não descansa.

A não ser que Jatene volte a causar encantos no sempre sizudo espírito do deputado marabaense, como conseguira quando o convenceu a trocar a Setran pela Obras, a disposição de Tião é deixar, o mais rápido possível, o cargo que ele desconfiava não disponibilizar de  nenhuma estrutura de peso orçamentária capaz de bombar as pretensões dele de sair tocando obras pelo Estado, particularmente em Marabá onde se candidatará à prefeitura –  mas acreditava, num curso de convencimento,  mudar o status de pasta esvaziada.

Passados pouco mais de vinte dias antenado com o dia a dia da secretaria, Sebastião Miranda está convencido de que é uma verdadeira furada manter-se no cargo.

Ele ficaria imensamente agradecido, e terrivelmente risonho, se a Setran caisse em suas mãos, mas como isso é sonho impossível, o famoso “Trator D-6”,como é chamado Tião em Marabá, deve ficar só na AL.

Se mudar de opinião daqui para segunda-feira, a responsabilidade do recuo será, de novo, dos hipnotizantes sussurros de Jatene.

—————–

atualização às 11:50 (29/01)

Passaram batidos, os jornais de Marabá (Opinião e Correio), além do Diário do Pará, da capital.

Ambos amaheceram sábado nas bancas sem dar uma nota sobre a desistência de Tião assumir  a secretaria de Obras.

Pontos para “Em Poucas Linhas” (Repórter 70), de O Liberal, que faz registro.

—————–

atualização às 11:57

Como o poster não havia lido a edição d´ Opinião de quinta-feira, 27, em cima da bucha voltamos pra fazer a  correção.

Naquele dia, o colunista João Carlos Rodrigues antecipava a saída de Miranda

——————

Atualização às 13:48

Diário do Pará, na coluna Repórter Diário, registra também a desistência de Tião Miranda.