Hiroshi Bogéa On line

“Não e Não” recebe pesquisa consolidada

 

A coordenação da campanha “Não e Não” recebeu a última pesquisa do Bureau Conduru, um dos melhores institutos de Belém, realizada dias 17 e 18, na Região Metropolitana.

Os dados animaram mais ainda os defensores da integridade territorial do Pará por revelarem consolidação nos diversos cenários da pesquisa.

As qualis do “Não” são realizadas com grupos dos  segmentos sociais  A e classe C. Em todos segmentos, há constatação de migração do Sim para o Não.

Como os dados não são registrados, o blog fica impossibilitado de apresentar cenário estatístico.

Post de 

24 Comentários

  1. Marabaense/Paraense

    30 de novembro de 2011 - 21:32 - 21:32
    Reply

    Gostaria de saber onde está o grande líder do projeto de Divisão do Estado, o
    Deputado Giovani Queiroz, pois só quem está se expondo na mídia, é o Deputado João Salame, que está servindo de boi-de-piranha. Os demais políticos e interessados, estão atrás do muro só à espera do resultado.

    Um Abraço.

  2. Marabaense/Paraense

    30 de novembro de 2011 - 21:26 - 21:26
    Reply

    Parabéns Alberto Silva, por suas colocações equilibradas. Os separatistas pensam que Belém é um Paraíso e que não tem problemas, como disse o Murilo com muita propriedade, venham conhecer os problemas daqui também
    e deixem de acreditar nesses políticos picaretas.

    Um Abraço.

  3. Murilo

    25 de novembro de 2011 - 13:18 - 13:18
    Reply

    ANONIMO
    Nasci em Belém,na santa casa de misericórdia situada na av. Generalisimo Deodoro,vim morar em Marabá que muito me orgulho só que tem uma diferença,conheço de perto o sofrimento deste povo esquecido pelos governos do pará,jámais votaria contra a criação dos dois estados. se o povo que vive no centro de Belém vinhece conhecer o abandono e as dificuldades que vivemos, mudariam suas opiniões.trinta votos de parentes e amigos que moram na capital estão comfirmados no 77.

    VC só conhece o centro de Belém mesmo, volta pra cá e vem conhecer o bairro do benguí, terra firme, guama, elo perdido no icui, paar e tantos outros bairros da cidade de belém e região metropolitana que tanto sofrem. é um absurdo acreditar em politicos que pensam em divisão territorial, e enganam os povos desses lugares dizendo que vão acabar com a fome, miseria e que vai ter emprego nesses tres estados pra todo mundo. POLITICO VIROU SUPER-HEROI FOI, OU ENTROU NA ESCOLA DE MAGIA DO HARRY POTTER.

  4. Anônimo

    23 de novembro de 2011 - 23:44 - 23:44
    Reply

    Nasci em Belém,na santa casa de misericórdia situada na av. Generalisimo Deodoro,vim morar em Marabá que muito me orgulho só que tem uma diferença,conheço de perto o sofrimento deste povo esquecido pelos governos do pará,jámais votaria contra a criação dos dois estados. se o povo que vive no centro de Belém vinhece conhecer o abandono e as dificuldades que vivemos, mudariam suas opiniões.trinta votos de parentes e amigos que moram na capital estão confirmados no 77.

  5. Anônimo

    23 de novembro de 2011 - 23:40 - 23:40
    Reply

    Nasci em Belém,na santa casa de misericórdia situada na av. Generalisimo Deodoro,vim morar em Marabá que muito me orgulho só que tem uma diferença,conheço de perto o sofrimento deste povo esquecido pelos governos do pará,jámais votaria contra a criação dos dois estados. se o povo que vive no centro de Belém vinhece conhecer o abandono e as dificuldades que vivemos, mudariam suas opiniões.trinta votos de parentes e amigos que moram na capital estão comfirmados no 77.

  6. FABIANO MOREIRA

    23 de novembro de 2011 - 14:50 - 14:50
    Reply

    Quero falar a todos os “paraenses como muito orgulho”

    1_Orgulho de está entre ós piores do país em índices de educação.

    2_Orgulho de ser um dos mais violentos do país.

    3_Orgulho de ter um dos piores abastecimentos de água do norte.

    4_Ogulho de ter um vergonhoso serviço público de saúde do Brasil.

    Hiroshi me perdoe mas dá-lhe “Carajás e Tapajós nessa galera”

  7. Alberto Lima

    23 de novembro de 2011 - 14:20 - 14:20
    Reply

    #
    Paulo Silva
    novembro 22nd, 2011 at 15:33

    Todos os grupos de pesquisa qualitativa realizados em Belém pela Frente do SIM revelam justamente o oposto. Adesões diárias à tese de criação dos novos estados. Mas semana que vem teremos pesquisas sendo publicadas de renomados institutos nacionais. Vamos ver quem está falando a verdade

    Resposta:

    Todos quais ” cara pálida” ??!..rsrsr!

    Põem um link ai “panóis”!

  8. Alberto Lima

    23 de novembro de 2011 - 14:16 - 14:16
    Reply

    Carlos
    novembro 22nd, 2011 at 21:13

    Eles(belenenses) nao conseguem nem esconder esse sarcasmo, esse desprezo, essa arrogancia, por nós e por nossa regiao.
    Uma pessoa como esse “paraense com orgulho”, so faz aumentar ainda mais minha indignaçao, pra nao dizer ODIO desse povim da capital.
    Fiquem ai, em seu mundinho de arrogancia e egoismos seus usurpadores de nossas riquezas.
    Deixem-nos construir nossa propria sorte, ja que infelizmente vcs sao a maioria dos eleitores e por isso mesmo se acham os “todos poderosos”.

    Resposta:

    Pare com esse chororô, e esqueça esse ódio. Pois ódio só faz mal a vc mesmo! Afinal, ninguém se importa se vc odeia ou não alguém, nada muda na vida de quem vc odeia, e as pessoas dormirão tranquilamente com ou sem esse seu ódio!

    Faça um favor a sí mesmo :
    Deixe de Odiar e vote 55 pra ser feliz!!

    Aproveite e tome uma maracujina! vc tá precisando…rsrsr!
    caminha!!..calminha!! e por favor, não me odeie pois ficarei muito triste!!…rsrsr!

  9. Alberto Lima

    23 de novembro de 2011 - 14:11 - 14:11
    Reply

    #
    Anônimo
    novembro 22nd, 2011 at 15:45

    Esta eleição vai ter uma abstenção muito alta. Em minha humilde opinião cerca de 40% não irão às urnas. Quem mora em Belém deverá fugir e emendar o feriadão de Nossa Senhora da Conceição, que acontece dia 8 de dezembro, nas praias e igarapés do interior. Resta saber quem tem um BOM trabalho de boca de urna para o convencimento. As diferenças de votos não serão abssais como quer o pessoal do NÃO.

    Resposta:

    Moro no Recife-Pe, sou paraense de Belém, já comprei minha passagem REC (Guararapes) – BEL (Val-de-Cães) com ida dia 09/12/2011 e retorno no próprio dia 11 pela parte da tarde!.

    Além de mim tem : minha esposa, e muitos amigos de Belém que estarão lá exclusivamente para votar!

    Então, se vc está achando que haverá absteções altas, esqueça!.

  10. sssss

    23 de novembro de 2011 - 11:38 - 11:38
    Reply

    Há e esqueci de lhe dizer, prezado Carlos, que pelo seu sotaquezim, vc deve ser um forasterim e volte pro seu lugazim, que não era pra vc ter saidozim. É NÃO E NÃO!

  11. sssss

    23 de novembro de 2011 - 11:36 - 11:36
    Reply

    Carlos se tem algum povim aqui, esse povim é vc. Se queres saber assim como eu o povo de Belém não tá nem aí p o que vc pensa. Vai desculpando aí, mas pelo visto é esse povim que vc se refere quem vai decidir esse plebiscito, vc gostando, tendo ódio, ou não.

  12. Prof. Alan

    23 de novembro de 2011 - 07:23 - 7:23
    Reply

    Parabéns, Carlos (novembro 22 21:13), é assim que se ganha uma eleição, com discurso de ódio e escorraçando aqueles de quem você precisa ganhar o voto! Certamente você aprendeu isso com o Serra, que ganhou a eleição em 2010 com o mesmo discurso, né?

  13. Anônimo

    22 de novembro de 2011 - 21:53 - 21:53
    Reply

    Henrique sou paraense e não moro na capital, moro no interior de Cametá e acho que com a divisão nada vai melhorar como afirmas se tudo acontecesse em um passe de mágica. Seja os políticos do SIM ou do NÃO são tudo farinha do mesmo saco, todos são corruptos. Agora para os políticos dessas regiões que querem a divisão nada no Pará presta, e o que é que eles fizeram para melhorar se eles estão no cenário político há muitos anos? Como se diz em Cametá isso é conversa para boi dormir. Vão enganar e mentir para outros. O povo do Pará que tem amor por este estado estão de olhos bem abertos. Não é qualquer propaganda que nos enganam . Aqui no meu interior em CAMETÁ todos votamos NÃO e NÃO 55 e 55, pois somos paraenses com muito orgulho e gostamos deste Pará grande, mesmo com dificuldades como qualquer outro estado do Brasil. Viva o Pará.

  14. Anônimo

    22 de novembro de 2011 - 21:52 - 21:52
    Reply

    Se não fosse importante a criação dos estados de Tapajós e Carajás,os senadores de São Paulo não estariam preocupados em repartir conosco os recursos que iram vir beneficiar nossa gente,pense nisso e vote 77.Sim.

  15. Carlos

    22 de novembro de 2011 - 21:13 - 21:13
    Reply

    Eles(belenenses) nao conseguem nem esconder esse sarcasmo, esse desprezo, essa arrogancia, por nós e por nossa regiao.
    Uma pessoa como esse “paraense com orgulho”, so faz aumentar ainda mais minha indignaçao, pra nao dizer ODIO desse povim da capital.
    Fiquem ai, em seu mundinho de arrogancia e egoismos seus usurpadores de nossas riquezas.
    Deixem-nos construir nossa propria sorte, ja que infelizmente vcs sao a maioria dos eleitores e por isso mesmo se acham os “todos poderosos”.

  16. Paraense com muito orgulho

    22 de novembro de 2011 - 17:47 - 17:47
    Reply

    Por favor, Leiam a postagem no blog do Zé Carlos: “Divisão do Pará para quem?” – achei o conteúdo muito interessante para formar opinião na hora do voto no dia 11. Por favor, leiam e tirem suas conclusões. E peço ao Hiroshy que comente a postagem,. O contraditório em alto nível é de grande valia. Vamos fundo, gente. O Caso é sério.

  17. Prof. Alan

    22 de novembro de 2011 - 17:30 - 17:30
    Reply

    Henrique, muita coisa que você citou é algo que deve ser cobrado das prefeituras também, não se resolve só com a criação de um estado. Muito se fala de cobrar do governo do Estado a solução de todos os problemas, mas a verdade é que muito (mau) prefeito adora esse discurso, pois desvia a atenção deles…

    Estou (nas horas vagas, por isso ainda demora um pouco) fazendo um levantamento de quanto os municípios das áreas dos estados do Carajás e Tapajós receberam em repasses do Governo Federal, assim que terminar eu encaminho ao Hiroshi, para publicação.

    Vocês vão ficar estarrecidos com o quanto esses municípios recebem, e que deveriam custear áreas vitais, como saúde, saneamento e educação. E olha que eu não estou incluindo os repasses do Governo do Estado…

    Pra você ter uma ideia: em 2010 o município de Xinguara (pouco mais de 41 mil habitantes) recebeu só do Governo Federal 33,3 milhões de reais em repasses. Se juntar com repasses estaduais vai a mais de 42 milhões, só em repasses, sem contar receita própria. Dá mais de mil reais por habitante, para aplicação em políticas públicas.

    Aqui em Brasília, com um custo de vida altíssimo, eu pago plano de saúde e escola pra minha filha com esses mil reais. Pense nisso: as raízes dos problemas de vocês são do Estado, mas não são somente do Estado…

  18. Anônimo

    22 de novembro de 2011 - 17:30 - 17:30
    Reply

    Paraense com muito orgulho , eu sou paraense também. Nascido e criado em Marabá e sou favorável a divisão, e aí? Vai mandar eu voltar para minha terra, também? Já estou na minha terra natal, e o que não presta aqui é o descaso.

    Pessoas como você também não prestam, mas aí é outro papo.

  19. Hiroshi Bogéa

    22 de novembro de 2011 - 17:27 - 17:27
    Reply

    “A Força do SIM”, retira a expressão “fajuta” de teu comentário a respeito do instituto de pesquisa. Eu conheço a seriedade do trabalho da empresa e não posso permitir o uso de expressão tão rasteira para designá-la. Ademais, aqui não foi publicado nenhum resultado expresso de pesquisa que merecesse tratamento tão baixo. O comentário será moderado mediante mudança da expressão.

  20. Henrique

    22 de novembro de 2011 - 16:32 - 16:32
    Reply

    Paraense com muito orgulho** em nenhum momento eu falei que aqui no Pará nada presta e pelo seu linguajado vc é da capital né ..rsrs

    Cara o Pará tem problemas como todos os outros estado tem, só que esses procuraram soluçoes, aqui não tem solução vide que o estado é mto pobre, dividir seria uma solução viavel, só que como eu falei “infelizmente o orgulho toma conta de não ver o GRANDE E RICO PARÁ dividido”
    agora se dividir vcs verão essa super potencia de estado que vcs acham que tem, sendo ultrapassado em riqueza e qualidade de vida por esse dois novos estados CARAJÁS e TAPAJÓS.

  21. Anônimo

    22 de novembro de 2011 - 15:45 - 15:45
    Reply

    Esta eleição vai ter uma abstenção muito alta. Em minha humilde opinião cerca de 40% não irão às urnas. Quem mora em Belém deverá fugir e emendar o feriadão de Nossa Senhora da Conceição, que acontece dia 8 de dezembro, nas praias e igarapés do interior. Resta saber quem tem um BOM trabalho de boca de urna para o convencimento. As diferenças de votos não serão abssais como quer o pessoal do NÃO.

  22. Paulo Silva

    22 de novembro de 2011 - 15:33 - 15:33
    Reply

    Todos os grupos de pesquisa qualitativa realizados em Belém pela Frente do SIM revelam justamente o oposto. Adesões diárias à tese de criação dos novos estados. Mas semana que vem teremos pesquisas sendo publicadas de renomados institutos nacionais. Vamos ver quem está falando a verdade

  23. Paraense com muito orgulho

    22 de novembro de 2011 - 14:13 - 14:13
    Reply

    Pois é, Henrique. Parece que voce e demais não verão o Pará da utopia pregada na propaganda surrealista do SIM. Agora, parceiro, se queres um conselho…não fique nesse Pará onde nada presta. Volte, irmãozinho, prá tua terra natal, lá, as coisas devem estar bem melhores do que aqui nesse Pará onde tudo é uma lástima. Né, não???

  24. Henrique

    22 de novembro de 2011 - 13:07 - 13:07
    Reply

    É claro q a população da região metropolitana vai votar CONTRA, infelizmente o orgulho toma conta deles de não ver o GRANDE E RICO PARÁ dividido, mas fica uma pergunta a grandeza do estado vai colocar comida na mesa deles? vai garantir medico e atendimento ? vai garantir água encanada e saneamento básico? que por sinal é um dos piores do Brasil. Outro ponto que tinha que ser abordado é que a maioria deles nunca visitaram as regioes que desejam a divisão, eles não conhece as reais necessidades do restante do estado.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *