Hiroshi Bogéa On line

“Não é hora de aprofundar nada”

 

Do deputado João Salame que se encontra fora do Estado do Pará  usufruindo seus últimos dias de férias, o blog recebeu comentário em aporte ao post As mexidas de Salame:

 

 

Meu caro Hiroshi. Seus textos como sempre bem elaborados e provocativos do bom debate. E você sabe que não fujo deles. Mas agora estou de férias com minha família no nordeste onde pretendo ficar até o fim da semana que vem, pelo menos. Não falo com o governador desde muito antes do plebiscito. Não há nenhum acordo meu com ninguém muito menos decisão sobre candidatura. Tudo a seu tempo. E de forma transparente. Tenho dito há muito tempo que política só se faz coletivamente, formando grupos. Marabá precisa de um projeto. Como fez Paragominas e o Ceará, por exemplo, para o bem ou para o mal, e conseguiram avançar muito. É possível fazer algo mais avançado e mais democrático em Marabá, desde que deixemos de pensar pequeno e de concentrar nossas energias em atacar os outros. É rizível a crítica que me fazem de nepotismo. Não arrumei emprego público para a Bia. Ela foi candidata a suplente, a convite de um senador, contra a minha vontade, diga-se de passagem. Mas não sou dono dela, sou apenas companheiro e marido dela. Ela tem todo o direito de exercer sua cidadania.

Mas não é hora de aprofundar nada. Vou tomar uma água de coco aqui na Bahia, onde estou agora. Relaxar, pensar muito e voltar com a disposição de conversar mais ainda para, coletivamente, buscarmos saidas para o nosso município.

Aos que teceram comentários elogiosos muito obrigado. Vou fazer de tudo para náo decepcioná-los. Aos que me criticaram, ainda que de forma injusta, vou refletir sobre as críticas pra ver onde estou errando.
Um abraço fraterno a todos e até breve.

João Salame

Post de 

12 Comentários

  1. João Dias

    11 de janeiro de 2012 - 12:56 - 12:56
    Reply

    Que é isso Doutor?

    Não obstante o seu posicionamento, permita-me fazer alguns acréscimos:
    o seu entendimento é válido, mas a validade não condiz com a realidade. Guerreiro não foge à luta, erga essa cabeça, confronte a sua atuação no Legislativo Estadual, com as práticas atuais Municipal e Estadual e, deixe o povo decidir.

    Considero que a somatória das experiências políticas adquiridas, a formação acadêmica, e a militância jurídica o credenciam para se habilitar ao pleito municipal que se aproxima.

    Quanto a questão da idade isso é irrelevante para o exercício do mandato legislativo, senão vejamos: Ulisses Guimarães; Nelson Carneiro; Tancredo Neves; Sobral Pinto e, muitos outros. O mais importante é o que você bem diz: servir aos outros e não a mim mesmo.

    Boa sorte!
    Tijuca, Rio
    João Dias Aragão
    sds. marabaenses.

  2. Plinio Pinheiro Neto

    10 de janeiro de 2012 - 19:32 - 19:32
    Reply

    Caros comentaristas das 20:53 e das 22:30.

    Agradeço-lhes pela bondade de seus corações para comigo, sobretudo, por acharem que eu ainda poderia sair dos escaninhos do arquivo da Casa da Cultura de Marabá e voltar ao proscênio para ser útil a nossa terra e a sua gente.Confesso-lhes que me sinto gratificado por me ter sido possível passar pela politica de maneira honrada, fazendo-a como a arte de servir aos outros e não a mim mesmo, prova é, que aos 65 anos de idade ainda frequento o Forum Estadual e a Justiça Federal todos os dias na lida advocaticia e assim será, enquanto a misericórdia do SENHOR o permitir.O meu tempo já passou e reconheço que devemos saber o momento exato de darmos oportunidade aos outros, pois a politica não deve, jamais, ser vivenciada como profissão e sim como uma forma de ser útil, à coletividade. Já dei a minha colaboração direta, no entanto, anseio pelo surgimento de novas vocações politicas, novas e sadias lideranças, capazes de nos entusiasmar e motivar a cerrarmos fileiras com elas, para que eu possa participar como colaborador na consecução de seus projetos e sonhos para nossa querida Marabá.Que DEUS os abençoe pelas pessoas que são e pelos intuitos nobres que os movem ao cobrar seriedade e honradez dos que exercem o munus público.

  3. Adalto Linhares

    10 de janeiro de 2012 - 09:57 - 9:57
    Reply

    Qual é o problema de ir pra Bahia nas férias?
    A galera do Estado de Belém veio aqui mostrar as garrinhas…

  4. Jorge Amado

    10 de janeiro de 2012 - 09:52 - 9:52
    Reply

    Oh, meu Rei!

    Férias e coincidências existem, mas, logo na terrinha de Dudidinha Mendonça (Bahia), é que você foi armar a sua rede? foi se espreguiçar, comer um acarajé, É?

    Não precisa explicar, eu só queria ENTENDER!

  5. Anônimo

    10 de janeiro de 2012 - 08:25 - 8:25
    Reply

    Anônimo,Filho de Marabá das 09:49, muito bem suscito suas crônicas,é isso mesmo colega.Tenho acompanhado e lído aqui no Bloghiroshi, e gosto muito, pela pertinência e objetividade de como relatas.Continue assim,”participativo”pois o Blogueiro agradece.

  6. Anônimo

    9 de janeiro de 2012 - 22:30 - 22:30
    Reply

    Mestre plínio,a cada leitura que faço de seus comentários,percebo o quanto Marabá,perde em não tê-lo com nosso representante.Volte amigo,vc além de inteligêntissimo e culto que és, tem muito a oferecer para nossa querida Marabá. Pois, para muitos seu nome por tudo que representou e representa, deveria constar da relação dos prefeitáveis. Peço a Deus,que continue te iluminando! Um abraço!

  7. anonimo

    9 de janeiro de 2012 - 20:53 - 20:53
    Reply

    Hiroshi,uma das coisas boas que vejo em seu blog são os comentarios do Dr. Plinio Pinheiro.Os comentarios do referido sr. refletem sempre moderação,inteligencia e a segurança de alguem que possui um alto nivel cultural conseguido não somente em bancos escolares mas tambem na escola da vida.

  8. Plinio Pinheiro Neto

    9 de janeiro de 2012 - 17:43 - 17:43
    Reply

    Caro Hiroshy.

    Volto a afirmar que é ótimo assistir a esta antecipada discussão em torno da eleição para a prefeitura municipal de Marabá, sobretudo, por que, não deve haver centralização em um só nome. A disputa é salutar para a democracia.Seria muito bom ver Maurino, Tião, João Salame, Italo, Jorge Bichara e outros, oferecendo seus nomes e projetos como opção ao eleitorado.Concordo que Marabá a essa altura, como cidade de porte médio e considerada como uma das que mais crescem no Brasil, necessita de um Plano de Govêrno, o que não me recordo de ter sido apresentado, até hoje, por algum candidato nos pleitos anteriores.O Prefeito ao assumir, excetuando-se as situações de emergencia, tem de saber o que fará, em cada área da administração, em todos os dias dos seus quatro anos de mandato.Não pode agir por impulsos.Marabá tem uma estrutura administrativa obsoleta e incompatível com o estágio de desenvolvimento que pretendemos alcançar, pois, entre outras providencias, já deveriam ter sido criadas regionais para melhor atender a nossa população urbana, espalhada por mais de 6.000 hectares, pois o Govêrno deve ir aonde o povo está. A presença de vários candidatos levará a uma obrigação inarredável de preparar plano de govêrno a ser exposto ao eleitorado, agora muito mais esclarecido e exigente, após a dolorosa vivencia da malograda campanha da emancipação, que deixou bem clara a todos a necessidade de valorizar o voto.

  9. Marabaense

    9 de janeiro de 2012 - 16:04 - 16:04
    Reply

    Seu Anônimo Filho de Marabá, antes de criticar quem defendeu o “Sim” de forma ostensiva, mostrando realmente a cara, você deveria visitar o banco de alguma escola de Marabá para eliminar seus “errinhos básicos” de ortografia. Vossa Senhoria escreve muito mal…

  10. Anônimo Filho de Marabá

    9 de janeiro de 2012 - 09:49 - 9:49
    Reply

    Paulo da Graça,das 08:30, a única coisa certa que o rinheiro DÚDA MENDONÇA sabe fazer, é práticar crime contra a ordem pública,pois colocar GALOS para se defrontarem até a morte, é pior ou igual o massagre acontecido com pobres e inocentes iraquianos pelos EUA.Faltou naquele momento em que o flagraram na RINHA, a sua efetiva PRISÃO, para o BEM DO BRASIL.

  11. Paulo da Graça

    9 de janeiro de 2012 - 08:30 - 8:30
    Reply

    De tão encantado com o publciitário Duda Mendonça, que afundou ainda mais a campanha do SIM, e de quem foi um aplicado aluno na repetição de seus ensinamentos, aliás, todos errados, o nobre deputado João Salame foi beber água na terra boa. Ou será que inciam-se as negociações para contratação do marqueteiro número um do Brasil para a campanha de prefeito em Marabá.
    Tomara não repita, quando retornar, os “ensinamentos” do bom baiano que de bom, é bom que se diga, não conseguiu nada por aqui.
    Muito pelo contrário.

  12. Anônimo Filho de Marabá

    8 de janeiro de 2012 - 22:48 - 22:48
    Reply

    Hiroshi, boa crônica do Dep. João Salame. Desejo a ele e sua familia, boas e merecidas férias. Apenas externo uma preocupação com o Deputado, que é o fato do local onde se encontra hoje, em total relax à “BAHIA”. Pelo amor de DEUS, aproveita e pede ajuda aos ORIXÁS,ou vá aí em Salvador, “NO TERREIRO DE UMBANDA DO PAI MANECO”(que graças a DEUS não tem nenhum parentesco com o nosso saudoso MANECO CARNAVALESCO aqui de Marabá. Aproveita e peça ajuda, pra lhe tirarem toda URUCUBACA, impregnada em voce, quando da sua relação, com o derrotado DÚDA MENDONÇA, cuidado pra não retornar para Marabá, mais contaminado,do que vc ficou aqui durante o plebiscito. Te cuida, pois, tú és uma boa pramessa de mudança para Marabá. Vou ficando por aqui, bebendo minha saborosa água de coco Paraense.Abs:

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *