Na sala do cafezinho

Publicado em 17 de janeiro de 2012

 

 

O que as pré-candidaturas de Jorge Bichara (PV) e Ítalo Ipojucan (PMDB) à prefeitura de Marabá têm em comum?

Definitivamente, evitar qualquer tipo de acordo numa  hipotética composição com o ex-prefeito de Marabá, Sebastião Miranda (PTB), pré-candidato declarado do governador Simão Jatene (PSDB).

Os dois podem até caminhar juntos, integrando  uma dobradinha cuja composição só o tempo dirá – mas dificilmente apoiariam as pretensões de  Miranda retornar ao poder municipal.

Bichara e Ipojucan entendem ser hoje as duas únicas alternativas disponíveis para o eleitorado que não simpatiza com as formas de administração do ex-prefeito petebista e do atual, Maurino Magalhães (PR).

Na avaliação de ambos, a  viabilidade eleitoral de  João Salame (PPS) só viria se concretizar caso o deputado do PPS rompesse comprovadamente  com o governo do Estado e consumasse a quebra de seus laços com Tião Miranda – fato dificilmente  propicio a se concretizar devido aos muitos interesses em jogo  a serem destratados.

Defendem a tese de que o eleitorado ainda não absorveu como verdadeira a divulgação da entrega dos cargos que João Salame detém na estrutura estadual, e que se isso continuar a prevalecer, Salame não se viabilizaria como alternativa de oposição às pretensões de Tião Miranda.

Jorge Bichara vê sua presença na eleição de outubro de forma prática: não teria nada a perder diante da possibilidade de demonstrar, durante a campanha eleitora,l suas propostas para administrar Marabá, “rompendo esse modelo viciado e totalmente distanciado da nova realidade que se apresenta para o município construir seu verdadeiro futuro”, avalia.

Em suas reflexões para os mais próximos, o médico marabaense compreende sua participação na disputa municipal como um ganho considerável, ao analisar a repercussão  que seu discurso pode injetar na consciência do eleitorado ávido por mudanças profundas no tabuleiro político do município.

Por seu turno, Ítalo Ipojucan confia na força das lideranças do PMDB  e na própria estrutura partidária existente em Marabá, onde conta com políticos bons de votos como o deputado Asdrubal Bentes, Nagib Mutran Neto, uma leva de bons nomes ao Legislativo, além de seu próprio discurso voltado ao desenvolvimento industrial, podem surpreender.

Ítalo e Bichara devem voltar a conversar nos próximos dias.

Também não descartam  colocar na bandeja  mais uma xícara de café para inserir a presença de João Salame à roda de bate-papo.