Hiroshi Bogéa On line

Na escuridão das Redações

Somente agora retornamos ao batente, afastados da base por três dias envolvidos na produção de uma documentário sobre o período áureo das embarcações que transportavam castanha de Marabá para Belém, fazendo escalas técnicas em Tucuruí, Cametá, Mocajuba e Baião.
Ausente exatamente na semana em que o governo tem muito a comemorar – apesar do estranho apagão que parou metade do país na terça-feira.

– Brasil voltando a crescer de forma vigorosa, agora com índices trimestrais chineses (7%);

– Popularidade de Lula subindo a média de quatro pontos;

– Aprovação da candidatura de Dilma em alta, enquanto a de Zé Serra despenca;

– Divulgação da menor taxa anual de desmatamento da Amazônia registrada pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), desde o início do levantamento em 1988.

O apagão chegou ao milésimo de hora do fato oportunista para encharcar de orgasmo a imprensa de sarjeta do país, que pegou a coisa pela orelha – concentrando edições extraordinárias e a louvação à “falta de visão executiva de Dilma” – como pimbou o Merval Pereira, na CBN, puxando o tema para a falta de investimentos do Governo Lula no setor elétrico.

Os bacuraus nem treme a cara.

Escondem o vergonhoso racionamento imposto por FHC, exatamente por falta de investimento, e alardeiam uma realidade ao gosto de cada um deles. Jamais disseram que a atual planta do setor elétrico, idealizada e construída por Roussef, enquanto ela esteve no Ministério das Minas e Energia, é que vem dando garantias de estabilidade no fornecimento de energia enquanto o país aguarda a construção das hidrelétricas do Madeira, Xingu e Tocantins.

O povo, sábio e sensível à movimentação das pocilgas fossilizadas, cada vez mais atento.

Esta manhã, na porta da agencia do Banco do Brasil da Nova Marabá, próximo a uma banca de revista, quatro moços comentavam o apagão de terça, cada qual emitindo opiniões à sua compreensão ingênua, quando um deles sapecou:

–  E as televisões já estão dizendo que a candidata do presidente Lula é a culpada pela falta de luz. O que ela tem a ver com isso?!

Na outra ponta, a resposta dada por um dos convivas no animado papo:

Daqui pra frente vão dizer que ela é a culpada de tudo de ruim. Só que ela vai ganhar a eleição, o Lula é quem quer ela.

O Lula é quem quer ela. Observem a frase, explícita, clarividente: transferência de voto segura.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *