Na cola do conhecimento

Publicado em 14 de abril de 2009

Oportuno artigo de Lúcio Flávio Pinto, no Jornal Pessoal, desta semana, indicando o conhecimento como o caminho mais curto para o Pará – e a Amazônia -, verticalizar soluções de seus graves problemas de forma competente. Mesma tese defendida em todos os encontros oficiais pelo titular da Sedect (Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia) Maurílio Monteiro, ao falar dos investimentos que estão sendo feito pelo governo na área de tecnologia, tanto na capital como no interior.

Neste momento (15h), como exemplo, a comunidade científica do Estado está conhecendo, no auditório da UFPA, o SOLID, sequenciador de tecnologia avançada que irá impulsionar a pesquisa genética no Pará, adquirido recentemente pelo governo Ana Júlia.

Bom dizer que, além da aquisição de um seqüenciador como o SOLIOD , o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia e Fundação de Amparo à Pesquisa do Pará, está constituindo a rede paraense de Genoma, que, irá atuar em demandas sociais, como pesquisa sobre doenças, e será usado nas soluções para gargalos tecnológicos da economia paraense.

Com o SOLID, conforme nota distribuída, a rede paraense de Genoma poderá decodificar um genoma em uma semana. Com a tecnologia anterior isso só seria possível em 10 anos, a um custo de bilhões, que passam a girar agora com o Solid em torno de 10 mil dólares. A rede paraense de Genoma também já nasce com uma equipe de 50 pesquisadores e já tem a cooperação de universidades do sul e sudeste do Brasil, que não possuem um equipamento como este.

O Governo do Pará foi o primeiro estado brasileiro e da América Latina a adquirir este equipamento, com recursos da Finaciadora de Estudos e Projetos (Finep), do governo federal, num total de R$ 13 milhões, sendo R$ 8 milhões de contrapartida do governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (Sedect) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará (Fapespa).

O SOLID, por enquanto instalado no Laboratório do Instituto de Ciências Biológicas da UFPA, terá como destino o laboratório de engenharia genética que está sendo construído dentro do Parque de Ciencia e Teconoloiga do Guamá, outra ação que faz parte do novo modelo de desenvolvimento do Governo do Estado.