Hiroshi Bogéa On line

MPE censura promotor de Marabá

Saiu o relatório do PAD 010/2008 que apurou a agressão do promotor José Luiz  Furtado a sua companheira Maria Odinéia Rodrigues Farias. O processo Administrativo Disciplinar instaurado pelo Ministério Público Estadual concluiu pela culpabilidade do promotor, ratificando informações à época de tiros disparados contra a parceira e outros projéteis espalhados pela residência do casal.

Pela gravidade do caso, a censura do MPE é um presente  natalino que chega às mãos do promotor, corroendo de forma quase ininteligível  sua biografia de autoridade pública instituída para fiscalizar os maus costumes e as práticas criminosas.

Amanhã, na coluna do poster no Diário do Pará, mais detalhes sobre a leve penalidade imposta ao promotor de Marabá, poelo MPE.

Post de 

7 Comentários

  1. Anonymous

    17 de dezembro de 2009 - 09:22 - 9:22
    Reply

    Furtaram as nossas esperanças de justiça.

  2. Anonymous

    15 de dezembro de 2009 - 11:19 - 11:19
    Reply

    Reações dos inocentes é incompreensivel. Todos sabem :MANDA QUEM PODE,OBEDECE QUEM TEM JUÍZO!Sempre foi assim e sempre será,não há nenhuma novidade no "front".Como diria o antigo pintor de paredes:"Simplesmente, El Bronze"

  3. Anonymous

    15 de dezembro de 2009 - 07:15 - 7:15
    Reply

    já pensou bogéa no tribunal um sujeito tendo seu julgamento promovido pelo "dignissimo promotor" pelo mesmo motivo,mas com menos intensidade,ou seja de 8 tiros pra baixo… "mais dotô eu só dei 5 tiros na desgraçada,e nenhum acertou",ilário rsrsrs…

  4. Anonymous

    14 de dezembro de 2009 - 22:03 - 22:03
    Reply

    Lemlra da musica do Jurandi…Aquela…da Panelinha….
    Nesse caso um caldeirão….

  5. Anonymous

    14 de dezembro de 2009 - 21:27 - 21:27
    Reply

    "Autoridade pública instituída para fiscalizar os maus costumes e as práticas criminosas" (tsc,tsc,tsc,…que ironia, heim??!!!)parece q a pena foi pequena diante do atentado praticado pelo Dr. Furtado.

    Se fosse um "pé-rapado" qualquer já estaria preso.

    Ele deveria estar longe daqui e recomeçar a vida num interiorzinho do Pará onde ninguém o conheça pra que possa fazer sua pose de "HOMEM DA LEI" acima de qualquer suspeita.

  6. Anonymous

    14 de dezembro de 2009 - 20:28 - 20:28
    Reply

    Hiroshy,
    Que péssimo exemplo, do nosso Ministério Público, o sujeito, enfia oitotiros na Mulher, acertando a mesma, e a penalidade aplicada, é apenas uma censura. Rapaz, estou propenso, a realizar o próximo concurso do Ministério Público, e após, ser empossado no cargo de Promotor de Justiça, sair atirando nas pessoas, uma vez que a penalidade, é apenas uma censura.
    Um absurdo.
    Abraços.
    João COSTA.

  7. Anonymous

    14 de dezembro de 2009 - 18:32 - 18:32
    Reply

    Caro Hiroshi, então o ilustre Promotor levou a efeito uma tentativa de assassinato contra sua companheira (Odineia) e o MPE "passou a mão em sua cabeça". O corporativismo, em todas as instituições, é flagrante. Ela (Odineia) que se cuide, na próxima ele pode não errar os tiros. Em 14.12.09, Marabá-PA.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *