Movimentação intenso nas ruas de Marabá potencializa risco de crescimento exponencial da Covid-19 previsto por professora da Unifesspa

Publicado em 4 de abril de 2020

Liberou geral!

Esta semana foi um período de extrema dificuldade para as autoridades estimularem o isolamento social.

Embora a prefeitura de Marabá tenha revogado decreto que abria  as lojas de Marabá, ninguém obedeceu.

Em pleno pico do coronavírus no país, principalmente no Estado do Pará, a cidade parece estar vivendo tempos normais.

A vida nas ruas  ganhou frenética movimentação em todos os sentidos.

O risco agora é grande de Marabá passar a figura entre os municípios com registro constante de casos positivos da Covid-19.

Autora de estudos estatísticos que preveem crescimento exponencial do coronavirus no Pará,  professora  Ana Cristina Viana Campos,  da Faculdade de Saúde Coletiva, da Unifesspa,  concluiu atualização da contagem  de casos da Covid-19, no Pará.

Ana Cristina tem dados estudados que mostram o risco do estado do Pará chegar a ter mais de 360 casos positivos da doença, em trinta dias.

A atualização de suas análises confirma esse risco.

Como ela mesmo diz, “somente ontem, 3 de abril, o Estado do Pará alcançou número recorde de casos conformados (26 casos), representando 34,6% de todos os casos registrados no estado até o presente momento, e com tendência  exponencial de aumento do número de casos-  algo em torno de 97,5%”.

Em outro plano, a professora da Unifesspa diz que de 75 casos confirmados no Pará, 40 casos  foram registrados entre os dias 1 a 3 de abril –  53,3%.

-“42 casos são de Belém, ou seja, 56%;  41 casossão do sexo feminino (54,7%) e 57 casos ocorreram entre 25 a 59 anos de idade (ou seja, 56%” diz Ana Cristina, preocupada com o aumento da doença no Pará.

Abaixo,  novos gráficos (atualizados) produzidos a partir dos estudos da professora da Unifesspa.