Hiroshi Bogéa On line

Mochileiro navegante

Uma capelinha abandonada sugere que melhores tempos já teve a religião neste trecho, que fica perto de Jambu-Açu, onde chego logo depois.

Agradável, sob qualquer prisma, a narrativa do Alencar em sua triunfal caminhada pela rota da Estrada de Ferro de Bragança.
Em cada lugar, uma nova emoção, novas caras & costumes.

Dá inveja esse percurso que o blogeiro faz.
Post de 

1 Comentário

  1. Anonymous

    25 de janeiro de 2008 - 00:53 - 0:53
    Reply

    Mas andar a pé como o blogueiro está andando, isso é coisa de maluco, meu!!
    Se fosse num jeep, até que seria barato.
    rsrsr

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *