Hiroshi Bogéa On line

Miragem nos trilhos

Lúcio Flávio Pinto, em edição do Jornal Pessoal da primeira quinzena de novembro, denuncia pessimismo em relacão a construção do trecho Açailândia-Belém da Ferrovia Norte-Sul. Ao analisar a compra pela Companhia Vale do Rio Doce da concessão da FNS, o jornalista diz:

“Pelo andar do trem, ele (o trecho) não chegará a Belém, ao contrário do que se previa (ou se queria por aqui). Dificilmente também no discurso oficial, só de fachada a Norte-Sul é um projeto do governo. Quem a concebeu foi a Valec, originalmente uma empresa controlada pela CVRD, depois repassada, com mala e cuia, para a administração federal. Ficou a marca dos interesses da Vale, que monta um sistema de transporte ferroviário sem similar no país, todovoltado para drenar as riquezas do país”.

Na sexta-feira, o blogger ouviu influente técnico da Ahitar (Administraçao da Hidrovia Araguaia-Tocantins), aqui no anonimato para preservá-lo de pressões políticas, reforçar as preocupações contidas no artigo de LFP.

O corredor multimodal de transporte do Vale do Araguaia está se consolidando como uma das principais estratégias para o desenvolvimento da Região Nordeste do Tocantins, incluída rapidamente no processo de produção agrícola de larga escala.
As principais alternativas para acelerar a consolidação do corredor são compostas pela BR-158, as Hidrovias Araguaia – Rio das Mortes e Tocantins e a Ferrovia Norte-Sul.

O colaborador diz que antes da Companhia Vale do Rio Doce adquirir a concessão da ferrovia, o projeto de esticá-la até Belém aparecia como objetivo principal da maioria dos debates até então realizados. “Estranhamente, na última semana, recebemos sinalização de gente importante do Ministério dos Transportes de que provavelmente alguns aspectos do traçado da FNS podem ser rediscutidos”, conta.

O governo reforçou, no entanto, a disposição de continuar acelerando a liberação de recursos para a conclusão da BR-158, que permitirá o transporte da produção até o Porto de Itaqui, no Maranhão; a ligação da Ferronorte com a ferrovia Norte Sul, cuja conclusão fará a ligação com o Porto de Santos (SP). Agora com a participação direta da CVRD.

Do jeitinho que o Lúcio conta na extensão da matéria do JP.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *