Hiroshi Bogéa On line

Ministro promete operacionalizar obras no Pará

 

 

Terminou agora há pouco a reunião de lideranças políticas e empresariais do Pará com o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, em Brasília, na qual foram discutidos temas envolvendo obras federais no Estado, entre elas, pavimentação da BR-153e Transamazônica; Hidrovia do Tocantins, Federalização da Pa-150, e o porto público de Marabá.

O governador Simão Jatene, que se encontrava na comitiva acompanhado dos secretários Sérgio Leão e Sidney Rosa, fez uma exposição sobre a importância e situação atual da BR-163, na obtenção de informações detalhadas sobre a disposição do governo em acelerar as obras de pavimentação da mesma.

Sérgio Passos apresentou relato sobre o estágio dos serviços de asfaltamento, mostrando que as obras estão em estágio adiantado.

Porto Público
Maurino Magalhães, prefeito de Marabá, procurou sensibilizar o ministro para o envolvimento direto do governo federal na construção do porto público de Marabá, cobrando uma parceria mais efetiva do ministério dos Transportes. O prefeito disponibilizou a vontade do município em participar na parceria como agente direto da obra, o que deixou o ministro entusiasmado com a proposta.

Sérgio Passos disse considerar o porto público do município uma das obras mais importantes no conjunto estruturante de empreendimentos que o governo federal procura visualizar em torno da hidrovia Araguaia-Tocantins, revelando que o Dnit já está trabalhando na elaboração do seu projeto.

 

BR-163 e Transamazônica
Ao se incorporar à exposição de Simão Jatene sobre a pavimentação da BR-163 e da Transamazônica, Passos revelou existirem alguns “gargalos” que estão atrapalhando o andamento pleno dos serviços de asfaltamento da Transamazônica, “mas que aos poucos estamos conseguindo equacioná-los para que a obra deslanche de vez”.

Hidrovia
Ítalo Ipojucan, presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá, e Divaldo Souza, diretor da ACIM, ficaram responsáveis pela exposição sobre a hidrovia Araguaia-Tocantins como eixo catalisador do desenvolvimento da região Sul e Sudeste do Pará, e seus efeitos na economia do Pará.

Ao responder aos questionamentos dos dois empresários, ministro dos Transportes informou aquilo que já havia sido antecipado pelo blog, ou seja, a de que a presidente Dilma Roussef quer a Vale diretamente envolvida na construção da obra.

Segundo o ministro, “existe orientação da Presidência da República para que ele e a ministra do Planejamento, Mirian Belchior”, tratem do assunto diretamente com a mineradora. Sem entrar em detalhes, o ministro pediu apenas um prazo de 60 dias para que a mesma comitiva de empresários e políticos do Pará volte a discutir o assunto hidrovia, período em que os dois ministérios deverão alinhavar alguns procedimentos junto a Vale.

Federalização
Quando foi provocado para explicar o estágio do processo de federalização da Pa-150, Paulo Sérgio fez a revelação até então desconhecida: a de que ele assinara nas últimas horas o termo de aceitação da rodovia integrada ao governo federal, passando agora a denominar-se, oficialmente, BR-155.

Mais: anunciou para este ano algumas obras de readequação da rodovia, mas com a garantia de que obras de restauração da mesma somente a partir do verão de 2012, quando haverá presença efetiva do governo em toda a extensão da estrada federalizada.

Comitiva
Participaram da audiência no Ministério dos Transportes, o governador Simão Jatene; prefeito de Marabá, Maurino Magalhães; secretários de Estado Sérgio Leão e Sidney Rosa; a bancada federal do Pará: senadores Flexa Ribeiro e Mário Couto (PSDB); deputados federais Zé Geraldo, Beto Faro e Miriquinha Batista (PT); Josué Bengston (PTB), Asdrubal Bentes (PMDB), o ex-deputado Paulo Rocha; Ítalo Ipojucan, presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá, Ítalo Ipojucan, além dos diretores Gilberto Leite, César Olivi e Divaldo Souza; secretário de Industria e Comércio de Marabá, João Tatagiba -, além do empresário Leonilso Rocha e diretores do grupo Leolar, Zé Fera e Marta.

 

Comitiva paraense recebida no gabinete de Paulo Sérgio

 

César Olivi, Asdrubal Bentes, Leonildo Rocha, Maurino Magalhães, Zé Geraldo, Simão Jatene, Paulo Rocha, ministro Paulo Sérgio, Josué Bengston, Flexa Ribeiro e Beto Fato.

 

Zé Geraldo, Maurino Magalhães, Paulo Sérgio e João Tatagiba.

 

Zé Geraldo, Leonildo Rocha, Maurino Magalhães, Paulo Sérgio, Josué Bengston, Gilberto Leite e Zé Fera.

 

Simão Jatene fez exposição ao minsitro dos Transportes
Post de 

4 Comentários

  1. karla Maues

    22 de setembro de 2011 - 21:21 - 21:21
    Reply

    Todos sabemos muito bem o que esta por tras de obras publicas milionárias. Sempre foi assim e sempre será.
    Imagine o que nao se desviou das eclusas de Tucuruí e da transposição do Rio São Francisco
    Os próprios Ministros Mantega e Paulo Renato afirmaram: “Voces acham que um Ministerio com este orçamento esta livre de corrupção?? Impossivel!!
    Portanto, brasileiros e brasileiras, a nós cabe a indignação e a constatação de que toda essa precariedade na saude educação e infraestrutura é causada unica e exclusivamente pela má gestão dos absurdos impostos que pagamos.
    Imagine que ainda sonham em criar novos Estados , NÃO só aqui no Pará mas em outras regiões!! A farra politica escalafobética estará ávida em abocanhar essas propinas. E quem ocupará os cargos juridicos cuidadosamente indicados politicamente? Quem garantirá a imparcialidsde em suas decisões?
    O dinheiro tudo compra!
    E aqui no Brasil nao existe punição exemplar pra essa roubalheira toda. Tudo sempre acaba em pizza, como aconteceu com o rombo dos 77 milhoes do governo passado e compra de votos por parte de incontáveis politicos separatistas.
    Quanto menos politicos melho. Vote 55 NÃO e 55 NÃO aos negociantes inescrupulosos de nossas riquesas!

  2. Quase anônimo

    20 de setembro de 2011 - 23:04 - 23:04
    Reply

    Presença do estado? Agora? Essa comitiva bem que poderia nem aceitar esse “professor gavião” junto. Esse cara já deixou bem claro que não simpatiza com nossa região desde a gestão passada dele. E desta feita ele não esquece que perdeu a eleição por aqui…A meu ver isso não passa de campanha pelo “não”! 77 neles, votemos SIM!!!

  3. Anônimo

    20 de setembro de 2011 - 21:53 - 21:53
    Reply

    Interessante a formação plural dessa comitiva (vi bandeiras de todas as cores, cuidadosamente transportadas..). Alguém tem memórias de outras ações semelhantes e de resultados concretos ?
    Essa pauta tão CARAJÁS as vésperas do plebiscito… é mesmo um movimento da presença do estado fazendo gestão nesse território… bem nos resta torcer pela concretização dos resultados!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *