Hiroshi Bogéa On line

Merreca condenada

Discurso do deputado João Salame na Assembléia Legislativa condenando a discrepância na distribuição de recursos aos clubes de futebol profissional do Pará, pelo governo do Estado, está sendo reproduzido em todos os programas esportivos das emissoras de rádio e TV do Sul/Sudeste.
Na visão do parlamentar do PPS, clubes como o Águia, São Raimundo (campeão do Brasil da Série D), Ananindeua e Castanhal, não podem receber apenas R$ 50 mil, como ocorreu ano passado, enquanto Paissandu e Remo, totalizaram cada, um milhão e seiscentos mil, para fazerem fiasco nos campeonatos que disputaram.

Post de 

7 Comentários

  1. Anonymous

    14 de novembro de 2009 - 22:34 - 22:34
    Reply

    Esses anônimos torcedores de Reminho e Papinha estão na contra-mão da atualidade. Não só o Águia fez muito com pouco, como agora o São Raimundo. Acordem, quem vive de velharias é museu. Não vai demorar o Pará terá um campeão interiorano. Em 14.11.09, Marabá-PA.

  2. Anonymous

    10 de novembro de 2009 - 19:44 - 19:44
    Reply

    Paysandu e Remo juntos tem quase duzentos anos, qual a posição deles no cenário futibolistico brasileiro, pois eles são GRAAANNDDEESS???
    QUANDO VEM COM ESSE BAIRRISMO, VEM PEQUENO E MEDIOCRE!!!!!!
    Na verdade são times de Varzea com sindrome de Real Madrid e Barcelona, tem que apresentar resultados, tem que fazer por merecer. Campeonato 2010, tem que jogar é nas quatro linhas não tem estorinhas….

  3. Anonymous

    9 de novembro de 2009 - 23:19 - 23:19
    Reply

    Juntos, Remo e Paysandu somam, no mínimo, 90 títulos estaduais!

    Quanto aos outros, primeiro façam por merecer, depois peçam alguma coisa!

    É assim que funciona!

    E, deputado, não pense que só porque o SR ganhou um títulozinho desse agora quer abraçar o mundo!!

    No mais Paisandu e Tuna Luso, ambos ganharam brasileiro de série B!

    Acho que os times do interior fizeram muito pouco pra botar todo esse bocão!

  4. Anonymous

    9 de novembro de 2009 - 19:00 - 19:00
    Reply

    Quando se analisa um fato desse,tem-se que tirar a camisa de torcedor,Paysandú e Remo atravessando péssimo momento(isso vai passar,todo mundo sabe)é assunto que não conta para determinar o repasse de verba pelo governo do estado.Os dois clubes de Belém movimentam a economia da capital(mais de 2000000 de hab.)quando jogam,do taxista,empresa de onibus,vendedores ambulantes,lanches,camisas,bandeiras,hoteis,jornais,etc.Isso é UM FATO,não há como fingir não ver.Agora eu pergunto:o Águia leva média de 2000 pessoas ao estadio por jogo ?´Doa a quem doer, mas é só isso.

  5. Alan Wantuir

    5 de novembro de 2009 - 17:41 - 17:41
    Reply

    Sou Remista de coração, mas acho que deveria ser dividido igualitariamente, até porque, esse dinheiro vai todo pro bolso dos "donos" desses clubes grandes como Remo e Paysandu. É isso!!

  6. Anonymous

    5 de novembro de 2009 - 15:06 - 15:06
    Reply

    É realmente uma discrepância que precisa ser corrigida.

  7. Anonymous

    5 de novembro de 2009 - 13:27 - 13:27
    Reply

    Um absurdo isso. Cadê o desempenho do Remo?O Águia com pouco fez muito.

Leave a Reply to Anonymous

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *