Hiroshi Bogéa On line

Medida saneadora, a volta dos diretores à sala de aula

 

 

              – “Meu deus!, Estou há dezessete anos como diretora, não sei fazer mais nada, o que vou fazer agora se me mandarem para uma sala de aula?

 

A frase é de uma diretora de escola, recém afastada da função por determinação do prefeito João Salame, revelada no blog do Gazetando, e que expressa reação de quem  vivia do comodismo, havia anos, sem dar qualquer tipo de contribuição à oxigenação necessária do ensino púbico.

Os cargos viciados, aos poucos, serão  ocupados por gente nova, numa luta de transformação que exige do prefeito de Marabá, coragem, determinação e  convicção das mudanças que o município necessita.

Não apenas na Educação, mas os avanços terão que vir, principalmente, na área de Saúde.

Quem convive com João Salame, diariamente, sabe o quanto ele vem sendo resistente em não retroceder.

A mudança que ele prometeu durante a campanha, ao final de seu mandato, serão sentidas – disso há poucas dúvidas entre aqueles que o acompanham de perto.

E como em toda transformação, há avanços e recuos, na caminhada.

Na estratégia de “guerra”, não se vence batalhas de uma só vez.

Há os deslocamentos estratégicos, recuos para que se possa avançar, depois, em segurança.

A decisão de demitir em massa diretores de escolas, é correta.

São pessoas que se perpetuavam nos cargos, sem nenhum  compromisso em fazer do espaço educacional, a conquista lúdica que o alunado necessita para sentir ganhos em seu aprendizado – sem depender apenas do educador, em sala de aula.

Tempos atrás, conversando com uma gestora  escolar, do Ensino Fundamental, o poster espantou-se ao sentir que a mesma desconhecia o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de sua própria escola!

Essa descoberta, aliás, serviu de base para um papo que o poster teve com o prefeito, ainda candidato, de quando dos debates internos para  elaboração das propostas da área educacional, que ele anunciaria, durante a campanha.

Salame sempre defendeu o direito do alunado escolher diretamente seus gestores, porque ele entende que a eleição direta é o exercício mais puro, de democracia, dentro de uma escola.

Retornar as ex-diretoras à sala de aula, servirá, em última instância, como processo, também, de reciclagem.  E de reaprendizado!

A acomodação dará espaço a novos desafios.

Com o tempo, com certeza, cada ex-gestor de escola reaprenderá a ter novos vínculos em seu compromisso de fazer da Educação, a construção de novos mundos.

Post de 

5 Comentários

  1. Luis Sergio Anders Cavalcante

    31 de maio de 2013 - 06:10 - 6:10
    Reply

    Hiro, sou totalmente favoravel à medida proposta e executada pelo alcaide. Há muito, o mercado de trabalho, pelas suas peculiaridades, impõe esse tipo de conduta a quem gerencia. No serviço público não deve ser diferente. Hoje, o funcionario deve ser polivalente e executar varias tarefas, sob pena, de não o sabendo fazer, tornar-se obsoleto, desatualizado etc… Em 31/05/13, Marabá-PA.

  2. Alan Santana

    29 de maio de 2013 - 16:48 - 16:48
    Reply

    Função comissionada (Diretor de Escola) não é vitalícia. A qualquer momento, o Gestor (Prefeito) entendendo ser necessária a mudança, poderá faze-la. Toda mudança é difícil, mas os resultados são palpáveis com o decorrer do tempo. Parabéns pela ousadia!

  3. Pedro

    29 de maio de 2013 - 15:15 - 15:15
    Reply

    Hiroshe, e vital que todos os funcionários das área de educação, (Professores),
    voltem a sala de aula, tem muita gente, com desvio de função, coragem.

  4. Alysson

    29 de maio de 2013 - 10:25 - 10:25
    Reply

    A proposta é interessante. Escolher diretores por eleição é o certo sem dúvidas. No entanto, achei totalmente sem sentido realizar a troca desses diretores nesse momento sendo que as eleições só ocorrerão daqui a vários meses quando novos diretores irão assumir em definitivo. Já imaginaram a confusão que vai ficar na administração dessas escolas com esse troca-troca de diretores?!!
    A ideia é boa, mas começou a ser executada erroneamente.

  5. GUI

    28 de maio de 2013 - 16:27 - 16:27
    Reply

    Que decisão corajosa, essa eu quero bater palmas de pé. Hiroshi você falou tudo, tem muitos por ai que estão acomodados, querem fazer da educação seu ninho e acham que a escola é sua, isso precisa acabar mesmo, afinal vivemos num país “democrático”… Uma pena que tem alguns que ainda irão permanecer, mas creio que será por pouco tempo, que venha as eleições para Diretor…Precisamos de sangue novo, ideias novas – gente que sabe lhe dá com pessoas – e que acima de tudo; ame a educação, pois educação requer muito amor… Ainda tem muita “gatinha” escondida, mas no fundo é “lobo mal”, cala-te boca….rsrs… Ta melhorando! Parabens ao gestor municipal!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *