Hiroshi Bogéa On line

Médico Astor Chaves explica os sintomas, tratamentos e causas de doenças urológicas mais comuns

O médico urologista Astor Chaves Gomes já é um dos nomes de maior conceituação em sua especialização não apenas em Marabá, mas em toda a região Sul/Sudeste do Estado.

Com menos de dois anos radicado na cidade, ele conquistou o respeito e a admiração de pacientes graças à seriedade com que se dedica ao tratamento de cada enfermidade que chega ao seu consultório, dispensando especial atenção e acompanhamento monitorado de quem busca seus conhecimentos médicos.

Formado na Faculdade de Medicina da UFPA (Universidade Federal do Pará) Astor Chaves especializou-se em cirurgia geral no Hospital  do Servidor Público Municipal de São Paulo (HSPM) e fez especialização em Urologia pelo Hospital do Homem do Estado de São Paulo.

Atendendo em seu consultório na clínica Pronto Baby e Family,  no Shopping Verdes Mares, o urologista trabalha cerca de 12 horas por dia, mantendo uma disciplina de agenda voltada a facilitar o máximo de tempo dedicado ao seus pacientes.

Na entrevista a seguir que concedeu ao blog, o jovem profissional deixa evidente todo seus conhecimentos  em doenças como câncer de próstata,, disfunção erétil, ejaculação precoce, prostatite, infertilidade, fimose – entre outras.

 

À frente da clínica, Astor Chaves e a esposa Sarah Jasper, neuropediátrica.

Quando se fala em Urologista, a primeira percepção que chega é a do  médico que trata da próstata, e exclusivamente da próstata. Mas não  é bem isso.  O médico urologista é o responsável por diagnosticar e tratar doenças do sistema urinário, que inclui órgãos, como a bexiga e os rins,. Você poderia esclarecer a que se destina realmente a habilitação do urologista?

O urologista cuida das doenças que acometem o sistema urinário, tanto masculino como feminino e o sistema reprodutivo masculino. As doenças mais frequentes do consultório são cálculos renais, hiperplasia prostática benigna, câncer de próstata, disfunção erétil, ejaculação precoce, fimose, hematúria, infecção urinária, entre outras. Todo urologista, obrigatoriamente, teve a formação como médico, especialização  em cirurgia geral e especialização em urologia. São onze anos de estudos para habilitá-lo a tratar clinicamente ou cirurgicamente destes problemas. O sistema reprodutivo feminina fica aos cuidados do colega ginecologista.

 

Quais as principais diretrizes da chamada Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem,  e quais as orientações para uma prevenção eficiente no caso específico da saúde masculina?

A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem tem como principal objetivo a promoção de ações de saúde que contribuam significativamente para o aumento da expectativa de vida e a redução dos índices de morbimortalidade por causas preveníveis e evitáveis na população masculina. É de suma importância que o homem busque realizar exames preventivos de forma regular assim como a mulher já os realiza.  Está alinhada com a Política Nacional de Atenção Básica – porta de entrada do Sistema Único de Saúde e com as estratégias de humanização, em consonância com os princípios do SUS, fortalecendo ações e serviços em redes e cuidados da saúde e principalmente, conscientizando os homens da importância de buscar os serviços de saúde de forma preventiva.

 

É um desafio conscientizar os homens com relação a essa questão?

Os homens são tradicionalmente mais resistentes a procurar ajuda médica e quando o fazem, procuram em um estágio mais avançado da doença. Todos são resistentes ao exame físico urológico, ainda mais nos casos em que é necessária a realização do toque prostático. Percebo que esse preconceito tem diminuído nos últimos anos com as múltiplas campanhas de conscientização de prevenção do câncer de próstata, como o Novembro Azul.

 

                                                             Os homens me procuram cada vez mais para realizar o rastreamento do câncer de próstata. Na maioria das vezes já trazem o exame de sangue.

 

 

Os homens passam boa parte da vida livres de incômodos que a mulher tem. Talvez isso deixe eles mais relaxados com a saúde. Mas, de acordo com sua experiência, quais são os maiores assombros dos homens quando eles procuram o médico?

Os homens me procuram cada vez mais para realizar o rastreamento do câncer de próstata. Na maioria das vezes já trazem o exame de sangue (PSA – Antígeno Prostático Específico) e realizamos o toque prostático, para depois mantermos o seguimento de acordo com cada caso. Outras assombros são a disfunção erétil, ejaculação precoce, prostatite, infertilidade, hiperplasia prostática. Acompanhamos também mulheres com infecção urinária, hematúria, cálculos renais, perdas urinárias aos esforços, etc.

 

Em geral, é possível dizer que os homens, quando chegam ao seu consultórios com doenças instaladas,  já estão  em estágio avançado?

O acompanhamento regular é essencial para a prevenção do câncer de próstata. Se o câncer for descoberto em estágio inicial (sem sintomas), tem chance de cura de até 90%. Os sintomas relacionados ao câncer de próstata são hematúria, jato fraco, esforço miccional, palidez cutâneo-mucosa, prostração, astenia e dor óssea. Quando descoberto com esses sintomas, a chance de cura é bem baixa. Então, a prevenção e o diagnóstico precoce são essenciais para uma recuperação satisfatória.

 

O Ministério da Saúde não recomenda mais o rastreamento sistemático do câncer de próstata, por não haver evidências da eficácia desse método na redução de casos. Ao mesmo tempo, a recomendação é para que se faça a investigação diagnóstica sempre que o homem apresentar sintomas que podem estar relacionados com o câncer de próstata. Quais são esses sintomas?

O Ministério da Saúde não recomenda mais o rastreamento precoce do câncer de próstata afirmando que não há estudos suficientes para tal conduta e que a detecção precoce não muda a história natural da doença ou tratamento de casos indolentes contrariando a Sociedade Brasileira de Urologia que recomendo sim o rastreia de câncer de próstata para todos os homens a partir dos 45 anos e a partir dos 40 anos para àqueles da raça negra, com história de câncer de próstata na família e obesidade.

 

Além dos conhecidos exames de PSA (sangue) e de toque retal, quais as maneiras de se prevenir o câncer de próstata?

A melhor prevenção do câncer de próstata é o diagnóstico precoce, com seguimento regular com o especialista. Entre os fatores modificáveis que mais ajudam a prevenir o câncer de próstata estão ter uma alimentação saudável, manter o peso corporal adequado, praticar atividade física regularmente, não fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

 

Muitos não fazem o exame da próstata por puro machismo, mesmo sabendo do risco que correm. Como é feito o exame? É rápido? Doloroso?

O exame é feito em decúbito lateral à esquerda com os joelhos fletidos. Utilizamos um gel anestésico. Dura 5 segundos em média. Se o paciente não apresentar nenhuma doença no ânus, o exame não é doloroso. Durante o toque retal, avaliamos a presença de nódulos, tamanho, consistência, sensibilidade, simetria e a presença do sulco mediano. A presença de nódulo é o parâmetro que acende o sinal de alerta para risco de câncer de próstata.

 

                                                                     – A incidência da disfunção sexual em homens brasileiros é de aproximadamente 65,6 casos por 1.000 pessoas/ano.

 

Disfunções sexuais e decadência física também levam os homens a lhe procurarem em seu consultório?

A incidência da disfunção sexual em homens brasileiros é de aproximadamente 65,6 casos por 1.000 pessoas/ano. Existem várias formas de disfunção sexual e as mais comuns são a psicogênica, situacional, hormonal e vasculares. Com a idade chegando, principalmente após os 50 anos, os pacientes começam a apresentar disfunção sexual em associação com decadência física e decaimento do nível de testosterona. Esse prejuízo na ereção faz com que os pacientes nos procure.

 

O crescimento benigno da próstata exige também acompanhamento médico? Quando isso ocorre?

A hiperplasia benigna da próstata acomete 50% dos homens com mais de 50 anos e 90% dos homens com mais de 90 anos. No adulto jovem, a próstata pesa cerca de 20g. Com o passar do tempo, a próstata vai crescendo progressivamente e gerando sintomas urinários. A urina estagnada favorece o aparecimento de infecções e cálculos renais. Os homens devem fazer acompanhamento regular quando começarem a apresentar jato fraco, esforço miccional, gotejamento terminal, polaciúria, ardência miccional e nictúria. A regularidade do acompanhamento médico dependerá da intensidade e gravidade dos sintomas.

 

Existe a ideia de que o obeso e os fumantes teriam menos crescimento benigno da próstata, existe verdade científica nisso?

Ultimamente a obesidade tem sido apontada como um dos fatores de risco para o crescimento benigno da próstata, assim como raça negra, sedentarismo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas. A escassez de estudos interfere na análise do tabagismo como fator de risco para o desenvolvimento da hiperplasia prostática.

 

Excluindo o uso de comprimidos que ajudam a combater a disfunção erétil, quais outros tratamentos existem hoje?

A primeira linha de tratamento para a disfunção erétil são os medicamentos orais inibidores da fosfodiesterase tipo 5. São facilitadores da ereção e necessitam de desejo e estímulo para que a ereção ocorra. Quando esses medicamentos não têm bom resultado, a segunda linha de tratamento são medicamentos que podem ser injetados nos corpos cavernosos do pênis. Quando esses também não funcionam, partimos para terceira linha de tratamento quando lançamos mão da cirurgia de implante da prótese peniana, cujo objetivo é proporcionar uma rigidez adequada ao pênis. As próteses podem ser maleáveis ou infláveis.

 

Você é tido como médico que vive integralmente seu consultório e se envolve muito no tratamento de seus pacientes. Por que nem todos os profissionais de medicina agem dessa forma?

Acredito muito que a medicina deva ser exercida por profissionais que apresentam verdadeira vocação. Para ser um bom médico, além de capacitação técnica é necessário altruísmo, responsabilidade, dedicação e empatia. O médico deve amar o seu trabalho pois ele implica muitas abdicações e interferências na sua vida particular.

 

Quem quiser fazer uma consulta em seu consultório , informe  seus contatos e endereço e canais de para marcar consulta, por favor.

Eu atendo quase que diariamente na clínica Pronto Baby & Family que oferece além do atendimento em urologia, atendimento pediátrico, fonoaudiologia, terapia ocupacional, psicologia, fisioterapia, Cirurgia Pediátrica, Nutrição Ginecologia/Obstetrícia, Psiquiatria e Cirurgia Plástica.

 

Pode entrar em contato através do Instagram – @urologista.dr.astorchaves  ou do @prontobabyefamily.

Telefones para contato: (94) 98110-8186/ (94) 99208-3370/ (94) 3322-6058

Post de 

1 Comentário

  1. Jane Lúcia Veloso

    26 de agosto de 2020 - 11:54 - 11:54
    Reply

    Parabéns E muito importante ter profissionais competentes e de Excelência em Marabá . São raros os médicos tão dedicados assim! Uma Benção! Eu conheço e recomendo além de médico maravilhoso e gente! De uma generosidade tão grande!!!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *