Hiroshi Bogéa On line

Mauro defende mais do que o pólo metal mecânico

 

 

Entusiasmado com o sucesso do 1º Simpósio do Pólo Metal Mecânico de Marabá, o vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá, Mauro de Souza – também presidente da Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do Sul do Pará (Acomac) -, entende que a sociedade regional e seus governos devem pensar em ir além da implantação do pólo metal mecânico no DI do município.

Avaliando como “maravilhosa” a superação das expectativas do número qualificado de participantes do 1º Simpomec, Mauro destaca a presença de empreendedores e empresários de estados como Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo – capital; interior de São Paulo ( São José do Rio Preto), “além de empresários aqui mesmo de Belém, bem como alunos das universidades de Marabá e Tucurí.

Este fato o surpreendeu. “O sucesso do simpósio foi tão grande que já estamos pensando, a diretoria da ACIM, tendo o Ítalo Ipojucan como nosso presidente, a cada dois anos, realizarmos evento similar, para se discutir não apenas a metalurgia, mas a implantação de um pólo que vá além do metal mecânico, bem mais amplo, no Distrito Industrial de Marabá”, explica.

Bem da verdade, o vice-presidente da ACIM tem defendido a ideia junto aos demais diretores da entidade. “Converso muito sobre isso como Ítalo e Gilberto Leite, da necessidade de estimularmos a participação de órgãos estaduais e municipais”, para atrair empresas destinadas a formar o pólo industrial, “que agregado ao metal mecânico, transformaria essa região numa pujante área de geração de riquezas”.

Tornando mais didática a explicação, Mauro lembra da “ distancia de Marabá, e do Pará, em maior extensão, dos grandes centros industriais, provocando o encarecimento do produto até chegar aqui para o consumidor final – basicamente em função do transporte, já que o modal utilizado é todo rodoviário”.

Na visão de Souza, “Marabá pode abrir espaço perfeitamente para trabalharmos a implantação aqui no DI de industriais de caixas d´água, tubos e conexões; cabos e fios. Precisamos pensar nisso. Podemos ter as universidades regionais como nossas aliadas oferecendo seus conhecimentos, no desenvolvimento de matérias primas para o surgimento de industrias de cerâmicas, além de outros produtos.

Mauro lembra ainda que “o mercado de ferro, a siderurgia, é regido pelos ventos da conjuntura internacional que quando entra em crise, nos sentimos também abalados pelos seus efeitos. Não sofre muito o setor de aços longos para a construção civil, mas os aços especiais para fabricação de tubulares, móveis e linha branca – sempre é afetado”.

Então, Marabá, para não ficar na dependência exclusiva de um pólo metal mecânico, defende o empresário, “precisamos pensar na diversificação desse setor produtivo da região, trabalhando junto ao governo do Estado a questão de incentivos fiscais voltados ao pólo industrial, no momento em que estivermos implantado o Distrito Industrial , para atrair empresas desse ramo, além do pólo metal mecânico pelo qual o nosso presidente Ítalo Ipojucan, e o Gilberto Leite, tanto tem lutado”, encerra o dirigente.

Post de 

13 Comentários

  1. Mauro Junior

    16 de dezembro de 2011 - 13:50 - 13:50
    Reply

    É meus nobres, essa grande figura que se preucupa com o desenvolvimento e o crescimento dessa nossa região,e que quer que todos aqueles que aqui moram possam ascender para uma vida melhor é meu grande pai tenho orgulho e amor inestimável. Ele sabe que não só um pai, mais sim, um amigo , um companhero!

    Continue assim que quero seguir teus passos.

  2. Anonimo

    12 de dezembro de 2011 - 13:09 - 13:09
    Reply

    Mauro, um empresário com ampla visão. Não foca só o seu interesse e sim o da cidade inteira. Pulso forte e mão e amiga.
    Parabéns.

  3. Anônimo

    11 de dezembro de 2011 - 17:57 - 17:57
    Reply

    Mauro e um bom homen e Marabá quer ajuda aumentar marabá

  4. anonimo

    11 de dezembro de 2011 - 11:38 - 11:38
    Reply

    Verdade…o ponto de vista do Mauro esta certo. Temos que nos unir e juntar forças por um mesmo ideal.
    Mauro parabéns pela loja, Marabá agradece.

  5. anonimo

    10 de dezembro de 2011 - 22:50 - 22:50
    Reply

    Seria muito mais fácil se todos os emprésarios de Marabá tivessem a mesma visão que o Mauro.

  6. ederaldo

    10 de dezembro de 2011 - 16:57 - 16:57
    Reply

    Realmente Mauro grande lutador pelo desenvolvimento de Marabá e região.

  7. moises

    10 de dezembro de 2011 - 00:44 - 0:44
    Reply

    o mauro de souza, é um grande amigo de marabá desde quando chegou a serviços do banco bamerindus do brasil, onde teve uma passagem brilhante por maraba e teve que se ausentar por alguns anos, devido seu crescimento no banco, logo em seguida retornou já com sua companheira celia e fincou moradia permanente no nosso municipio, onde vem corajosamente criando seus filhos mauro filho e gabriela com nosso sotaque e jeito marabaense, grande homem, grande empresario e excelente pai de familia. parabens mauro….. e continue defendendo nossa cidade e lutando pra trazer melhorias pra nossos filhos e netos.

  8. MARCIO REIS

    9 de dezembro de 2011 - 19:09 - 19:09
    Reply

    A região norte precisa desenvolver, e ser competitiva igual a região sudeste! Mas deparamos com muitos obstáculos!
    O Sr. Mauro de Souza está certo! Por isso precisamos que aprove o Plebiscito para que mude as coisas e possamos crescer e desenvolver nossa região e exportar produtos em vez de só sermos consumidores!
    Pois tudo que precisamos tem que vir de outras regiões!
    Falta é incentivo do Governo Federal e um Governo Estadual presente e próximo de nós!

  9. Anônimo

    9 de dezembro de 2011 - 18:24 - 18:24
    Reply

    O SIMPOMEC realmente foi um grande sucesso, sendo comentado e elogiado pelos professores da UFPA e por todos os participantes. Mostra que Marabá está se preparando para receber os grandes investimentos da ALPA e ALINE… Mostrou á sociedade o tamanho da responsabilidade e da importância que Marabá tem e terá no cenário estadual e nacional.

  10. Anônimo

    9 de dezembro de 2011 - 16:03 - 16:03
    Reply

    É esse tipo de pessoa que a campanha do 55 chama pejorativamente de “forasteiro”. Mauro, uma grande pessoa, quem o conhece sabe da sua batalha social para transformar Marabá em uma cidade mais humana.

  11. Anônimo

    9 de dezembro de 2011 - 15:16 - 15:16
    Reply

    Hiroshi,
    Realmente eu nao conhecia esta figura. Tenho que sair mais.

  12. Anônimo Filho de Marabá

    9 de dezembro de 2011 - 14:29 - 14:29
    Reply

    Hiroshi, o Mauro é um baita parceiro de Marabá.Continue firme amigo, com seus bons propositos.Abs

    • Hiroshi Bogéa

      9 de dezembro de 2011 - 14:32 - 14:32
      Reply

      Eu sei disso, Filho de Marabá. Além de baita parceiro, é uma extraordinária figura humana. Mauro está na minha relação de pessoas dignas e amigas.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *