Marcas que ficaram

Publicado em 28 de janeiro de 2007

Socióloga, a paulista Maria Adelina Guglioti Braglia deve ter chegado a Marabá lá pelos idos dos anos 70, com a missão de coordenar o Campus do Projeto Rondon. Idealista, não se contentou apenas em cumprir a sua função acadêmica, certamente ansiosa por acreditar na possibilidade de criar espaços para a busca de uma vida mais digna das pessoas.
Em 1982, elegeu-se vereadora de Marabá, escrevendo uma história de vida política curta, mas imensamente superior ao de muita gente que até hoje vive às custas das tetas governamentais sem nunca ter contribuído decentemente em favor das transformações que tanto sonhamos.
Após abandonar a política partidária, Adelina Braglia mudou-se para Belém, onde se encontra atualmente trabalhando como excelente técnica de alguma entidade governamental.
Marabá ainda lhe deve esse legado. Deve sim. E muito!