Marabá viverá “economia de guerra”

Publicado em 19 de dezembro de 2012

 

 

Quem estiver pensando que o futuro governo de Marabá irá contemporizar com o desperdício, apadrinhamento em contratações, permitir a criação de feudos em secretárias para todo tipo de tentação tenebrosa, pode tirar o cavalo do sereno.

Também,  alguns  de olho em secretárias com objetivo unicamente de fazer seu roçado, não se iludam.

Salame está decidido a enfrentar todo tipo de voo safardana.

O futuro secretário de Segurança Institucional terá missão de montar um serviço de inteligência para detectar movimentos suspeitos nas secretarias municipais. Qualquer passo em falso de ordem moral do auxiliar direto do prefeito, será motivo de abertura de inquérito administrativo, antecedido da demissão do titular do cargo.

Mais: vem medidas duras por aí.

Muitos cargos não serão preenchidos, a folha de pagamento passará por um processo de enxugamento minucioso, com redução significativa do numero de DAS.

E há plena disposição de Salame colocar a lupa em contratos merecedores de revisões.

O futuro prefeito sabe que se não usar a caneta com mão de ferro, Marabá jamais sairá do estado deplorável no qual se encontra.

João tem chamado pessoas que lhe são próximas com o seguinte aviso: – Não me peçam empregos, não defendam a contratação de amigos, não  se aproximem de mim para criar embaraços.

Quem não entender o recado, não entenderá por que ele se afastará de muitos.

É isso.