Hiroshi Bogéa On line

Marabá tem cinco áreas de alto risco à dengue

 

 

 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), concluiu o Levantamento do Índice Rápido do Aedes Aegypty (LIRA) em Marabá. O mapeamento da cidade aponta cinco áreas de alto risco e seis de médio risco para dengue neste começo de ano. A maioria das localidades apresenta baixo risco para a doença. O Lira tem como objetivo detectar os locais que necessitam de ações imediatas de combate ao mosquito, evitando que a população contraia dengue.

Segundo metodologia do Ministério da Saúde, é considerado de alto risco aquele bairro ou quarteirão que apresenta índice de infestação a partir de 3% dos imóveis. Nesta situação estão São Félix Pioneiro, Folhas 10, 16 e 35 e Morada Nova. Médio risco, quando o índice registra ocorrência entre 1% e 2,99%, estão São Félix I, II e III, Km 7, bairros Laranjeiras e Belo Horizonte.

Este ano, de acordo com informações da Vigilância Epidemiológica, foram notificados somente quatro casos de dengue em Marabá. Todos ainda sem confirmação. A baixa ocorrência da doença pode estar relacionada ao retardamento do período de chuvas. Os mutirões de limpeza realizados agora pela prefeitura, retirando das ruas a enorme quantidade de detrito acumulada pela coleta deficiente de lixo realizada na gestão passada, também estão ajudando a reduzir a proliferação do mosquito, porque retira objetos que podem servir de criatório ao mosquito.

A população também tem papel fundamental no controle da doença, já que boa parte dos focos de mosquitos concentra-se nas residências. A orientação é manter sempre os quintais limpos, colocar garrafas ou objetos que possam acumular água, virados de boca para baixo, e ter cuidado com vasos de plantas e reservatórios de água. Ou seja, esses recipientes devem ser limpos periodicamente.

Duas equipes de agentes de endemias  iniciaram a execução de profilaxia da dengue. Uma no bairro Belo Horizonte, núcleo Cidade Nova; e outra nas Folhas 31 e 32, Nova Marabá. O trabalho iniciou por esses bairros a pedido dos moradores, mas que se estenderá a toda à cidade, especialmente naqueles locais de maior infestação do mosquito Aedes.

Post de 

2 Comentários

  1. Valdilene Sá

    24 de janeiro de 2013 - 09:30 - 9:30
    Reply

    E bom divulgar um contato direto com Secretaria de Saúde para que a população possa estar fazendo contato, em caso de denuncia.

  2. AGUINAIR

    23 de janeiro de 2013 - 17:19 - 17:19
    Reply

    rsrsrsrsr…. Esse levantamento num foi na Vila São José !!!??? tenho certeza que não… A situação lá ta feia….Hiroshi me ajuda ai; gostaria de saber quem são os responsáveis por aquela área… Agente de saúde tem um bom tempo que num vejo por lá… Lembro que tinha um agente que sempre nos visitava, me parece que nome dele era Igor …O povo clama por socorro na Vila São José!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *