Hiroshi Bogéa On line

Maníaco de Marituba: mais três denúncias podem elevar para dez número de mulheres vitimadas

Cada dia crescem suspeitas de que o chamado “Maníaco de Marituba” tenha praticado crimes a mais de uma dezenas de mulheres.

Mais três denúncias chegaram à polícia.

Especificamente mais três vítimas compareceram na Seccional Urbana de Marituba, Região Metropolitana de Belém, na tarde de terça-feira, 14, e reconheceram o adolescente de 17 anos que atraia, utilizando as redes sociais, mulheres que prestavam serviços de estética com atendimento domiciliar, para roubar, estuprar e agredi-las.

Com as novas denúncias, até agora, pode chegar a dez o número de casos do “maníaco de Marituba”, como ficou conhecido o adolescente.

A informação foi confirmada pelo delegado Marco Antônio Duarte, diretor de polícia metropolitana.

“Até o final da manhã de segunda, 13, tínhamos contabilizado sete vítimas. Mas na tarde de ontem, 14, três vítimas estiveram na Seccional Urbana de Marituba para denunciar o adolescente. Duas disseram que teriam sido estupradas, e a outra chegou a trocar mensagens com ele, mas ficou desconfiada e não foi ao encontro”, informou, ao falar sobre o andamento das investigações dos crimes de estupro e homicídio no município de Marituba.

Com as investigações após a morte de Samara Duarte Mescouto, que estava desaparecida desde sexta-feira, 10, e a apreensão do menor e prisão de seu comparsa, os novos casos vieram à tona.

O corpo de Samara foi encontrado no domingo, 12. Para cometer o crime, segundo informações da Polícia, o adolescente teve a ajuda de Jederson Menezes Alves, de 20 anos. Nos demais casos, ele agiu sozinho.

O adolescente acusado de envolvimento nos crimes contra dez mulheres já está à disposição da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa). O outro acusado, Jederson Menezes Alves, foi encaminhado ao sistema penitenciário ainda na segunda-feira, 13.

A Polícia Civil prossegue com as investigações e orienta as mulheres vítimas desse tipo de crime que procurem qualquer unidade da Polícia Civil, para que sejam tomadas as providências necessárias.

 

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *