Língua inquieta

Publicado em 23 de novembro de 2007

O Ministério Público não tem um calendário de visitas às delegacias de polícia para verificar a situação dos detentos? Em Abaetetuba, isso ocorreu alguma vez? E se ocorreu, no período de 30 dias em que a menor de 15 anos ficou sendo currada por vinte presos, nenhum promotor tomou conhecimento da presença da garota no ´motel´ do Estado? Ou visitas corriqueiras se resumem às perguntas de praxe ao delegado de plantao, sem necessidade do MP botar os olhos no mundo-cão existente além das grades?
Sem ofender. Sem ofender.