Hiroshi Bogéa On line

Ligando margens

A Vale do Rio Doce está iniciando os trabalhos de construção da ponte de 140 metros sobre o rio Itacaiúnas que ligará a minha de cobre do Salobo à estrutura logística da mineradora. Essa é a primeira de uma série de obras do mega-empreendimento avaliado em US$ 900 milhões em sua fase de implantação.

Post de 

3 Comentários

  1. Val-André Mutran

    13 de abril de 2007 - 16:37 - 16:37
    Reply

    Quase um bi. Hummm!
    E quanto a Vale vai injetar contra os danos ambientais em Marabá?
    Quais as medidas mitigatórias que serão adotadas para “tentar” neutralizar a invasão de desempregados que chegarão de todos os quadrantes atrás de emprego?
    O quê ou como a sociedade marabaense está se mobilizando para antecipar mais esse desastre em sua trajetória?
    Marabá é a bola da vez da “invasão”.
    Quem souber me responder, que responda.

  2. Waldyr Silva

    12 de abril de 2007 - 12:43 - 12:43
    Reply

    De uma coisa temos certeza, caro Cândido do Cartório: o ônus social da migração desenfreada de pessoas atrás de emprego será sentido maciçamente pela administração do município de Parauapebas, por onde se chega ao projeto Salobo.
    Waldyr Silva
    Parauapebas (PA)

  3. Anonymous

    11 de abril de 2007 - 16:23 - 16:23
    Reply

    Quase duas décadas depois, finalmente esse famigerado (para nós humildes mortais) projeto começa a ser executado. Tenho cá minhas dúvidas se o mesmo trará algum benefício direto para o povo da regiao.
    Cândido do Cartório
    Curionópoli

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *