Lavareda e os malfeitores

Publicado em 15 de julho de 2020

Se forem buscar os motivos determinantes exigidos para a instalação de uma CPI para apurar as bandalheiras do Tribunal de Contas dos Municípios – ao contrário do que se diz internamente -, os digníssimos deputados teriam lista nada desprezível.
A denúncia formulada à Procuradoria Federal pelo morador de Capitão Poço, Wanderson Esteves Carvalho, de que o conselheiro Luis Daniel Lavareda  recebia gordos R$ 15 mil mensais para “azeitar” as contas do município junto ao TCM, é escândalo de repercussão nacional. O rapaz oficiou a existência de um quadrilha formada pelo próprio Laverda, funcionários do tribunal, o prefeito de Capitão Poço e outros peixes não menos graúdos.
Se apertarem um pouquinho mais, descobrirão a atuação de outras quadrilhas com propósitos idênticos perambulando pelas prefeituras do Sul e Sudeste do Pará.
A Assembléia Legislativa está a um passo de se locupletar, caso puxe para debaixo do tapete esse vergonhoso amontoado de safadezas patrocinadas por autoridades paraenses.
O Liberal de hoje conta tudo.