Hiroshi Bogéa On line

Lateral da “Ponte do Nelito” ameaçada de demolição

 

A denúncia é trazida pelo marabaense, atento a tudo, Luiz Pinho, através de emeio enviado ao blog, dando conta de que há em andamento projeto de demolição das defensas laterais à esquerda.

O projeto seria de interesse privado para a construção, veja bem, de um estacionamento.

O que diz o querido leitor:

 

 

Caro Hiroshi,
Chegou ao meu conhecimento que o que resta do primeiro viaduto construído em Marabá, inaugurado em 12/01/1966 (conforme placa em bronze fixada na última coluna à esquerda, em frente ao restaurante por do sol) está para ser descaracterizado, com a demolição de uma das defensas laterais,para construção de um estacionamento, precisamente a lateral esquerda de quem segue para a orla, inclusive aterrando este lado, em área de preservação permanente que faz a drenagem da microbacia da grota que corre na lateral da maçonaria.
Peço também, encarecidamente, (êta pidão) que você dê o pontapé inicial para o tombamento deste viaduto como patrimônio histórico da cidade.
Penhoradamente agradeço quaisquer providências.
Luiz Pinho

———–

Nota do blog: Luiz, levaremos essa denúncia ao conhecimento do prefeito João Salame, que não deve estar a par da “novidade”. E quanto ao tombamento viaduto Tibiriçá,  aí fica um belo motivo para os novos vereadores começarem a trabalhar de olho numa nobre causa.

———–

Atualização às 23:45

 

Em verdade, não se trata do trecho que liga a saída da  Orla à praça Duque de Caxias, em frente a Câmara Municipal.  O chamado viaduto é a conhecida “Ponte do Nelito”, que dá acesso à orla de Marabá, ligando a rua Norberto de Melo à churrascaria Por do Sol.

Post de 

20 Comentários

  1. angelo

    12 de janeiro de 2013 - 13:14 - 13:14
    Reply

    como se comenta da aparecer, que existe questão pessoal. o melhor é chamar quem se dis proprietário e da ideia para que este viaduto seja melhor aproveitado para o bem da população. sr engenheiro ambiental faça um projeto e procure as partes para que o sonho possa ser realidade ou pra isso tem que ser ressarcido para que possa faser o projeto. acho louvável a preocupação com a mãe natureza mas se é pra ficar como la esta é melhor que se venha as construções.

  2. luiz pinho

    10 de janeiro de 2013 - 13:47 - 13:47
    Reply

    Quanto à motivação, está explicada acima, pessoalmente não conheço o cidadão, o respeito e admiro como empreendedor que é, que está onde está por seus próprios mérito. sucesso ao mesmo.

  3. luiz pinho

    10 de janeiro de 2013 - 13:38 - 13:38
    Reply

    Sra. Wiama, a sra. fala pela parte interessada em fazer a obra, não falei com o proprietário por não ser da minha alçada, se o fizesse seria solenemente ignorado, convoquei através deste competente blog as providencias da prefeitura, que prontamente se fez presente,
    Quanto a ser louco: sou sim, de pedra(meu sobrenome tem rocha), a tal ponto de quando vim morar no novo horizonte em 1977 minha primeira providencia foi construir uma FOSSA SÉPTICA, sabe porque mana?, me explico; se recebo graciosamente da mãe natureza através de um poço ou mina d`água uma água pura e cristalina, esta água após seu uso é transformada em esgoto, onde eu tenho o DEVER de descartá-la no mínimo parcialmente tratada, tratamento biológico que a fossa séptica oferece, em 81 construí uma 2ª fossa
    Quanto ao sr Anderson colocar manilha e jogar terra ESCONDE o problema, é o que a maioria OMISSA da população faz, o que os olhos não veem o nariz não cheira.
    Um detalhe; rato adora bueiro. um viveiro ideal

    Sr. Luiz Sergio: Muito bem colocado.
    E para quem desconhece do assunto, sou Gesto Ambiental tecnicamente graduado e qualificado.
    Os senhores pensam que a água que bebem nunca foi esgoto? Que a chuva que cai do céu é criada pelo Grande Arquiteto?, nunquinha!!, desde que Ele criou o mundo o volume de água no planeta é o mesmo, alternando-se nos três estados; sólido (é gelo viu!) liquido e gasoso, num ciclo perpétuo e perfeito conforme Ele criou, e Ele nos colocou aqui para que nos harmonizássemos com Gaia (se não sabes o que é estude) e que o ser humano, com sua ganância infecciosa, consumismo desenfreado vem ultrapassando todos os limites de auto purificação da mãe natureza.
    O esgoto, que os SENHORES(AS) geram diariamente e são lançados irresponsavelmente em nossos lençóis freáticos (continue estudando) rios e igarapés de maneira criminosa, isto é culpa de TODAS as gestões municipais anteriores que nada fizeram porque idiotamente eles raciocinavam que obra enterrada não aparece e não gera votos. Este esgoto se devidamente tratado vira água potável sim, é só questão de tecnologia aplicada.

  4. Luis Sergio Anders Cavalcante

    9 de janeiro de 2013 - 21:16 - 21:16
    Reply

    Ops, devagar com o andor que o santo é de barro, amigos. Srs. Wiama Paulo e Anderson Assís penso que Vs. Sras. estão falando sem conhecimento de causa. A manutenção não só de praças, coretos, como pontes – que é o caso em pauta – outros logradouros públicos, há muito construídos, que fazem parte da memoria e patrimonio histórico de Marabá, bem como de um projeto de revitalização da Marabá Pioneira do novo alcaide.. Só quem fez uso do manancial à época, como tomar banho e – beber, sim, beber da água( não era poluído) que corria então – sabe como era. Hoje, como afirma o Luiz Pinho, degradada, assoreada, contaminada e tudo que mais quiserem. Portanto , amigos, desde 1966 quando inaugurada, a ponte existe. Concordo e apoio o Luiz Pinho. E pq. não nossos netos poderem um dia voltar a tomar agua dalí. A outra ponte fica pouco abaixo, no acesso da Pça. Duque de Caxias passando pelo restaurante Quero-Mais. Está encoberta pela camada asfáltica, porém ainda pode se ver, ao lado esquerdo, próximo à Casa Bandeira, alguns minis pilares que de pequeno porte já deteriorados, que serviam como corrimão. Se de 1966 prá cá o que foi feito só colaborou para mais e mais, aterrar o curso dágua, não significa que devamos continuar errando. É perfeitamente possível recuperar a potabilidade da agua que por alí passa e/ou deveria passar. A não ser que Vs. Sas. deêm mais importancia a um estacionamento para carros, do que à um curso dágua. Passar bem. Em 09.01.13, Marabá-PA.

  5. Anderson assis

    9 de janeiro de 2013 - 11:10 - 11:10
    Reply

    Caro Hiroshi, como é que a pessoa diz gostar de Marabá e fica sonhando besteira, como está fazendo esse sr. luis pinho, onde ja se viu sonhar com sua neta beber agua de esgoto, será que ele acha aquela imundiça que está ali na entrada do portal da Orla bonito, não seria muito melhor que colocassem as manilhas e o aterro para acabar com os ratos o fedor e a feiura.

  6. WIAMA PAULO

    9 de janeiro de 2013 - 10:58 - 10:58
    Reply

    Caro Luis Pinho, porque o Sr. não procurou as pessoas que estão fazendo a obra para saber o que será feito, antes de fazer a denúncia, o Sr. fala que vamos obstruir, depois fala que estamos colocando as manilhas, você é louco ou tem algum motivo pessoal com o proprietário. Onde é que já se viu beber água de esgoto.

  7. luiz pinho

    9 de janeiro de 2013 - 05:22 - 5:22
    Reply

    Caro Hiroshi
    Agradeço a voce a à prefeitura pelas providências, resta ao interessado na obra reunir-se com a prefeitura para discutir o aproveitamento da área que o mesmo se diz proprietário, sem demolir o que resta da ponte. Teria no mínimo que construir as duas galerias, nas dimensões que se encontram sob a ponte, para permitir sua limpeza periódica.
    Se possí el coloque nesta postagem a foto da galeria para informação do amigo Augusto.

  8. Wanderley Mota

    7 de janeiro de 2013 - 18:17 - 18:17
    Reply

    ninguém melhor que eu pra lembrar deste viaduto,tenho uma cicatriz no meu pé esquerdo,tava fazendo umas traquinagens passando por lá na cheia de 1982 pisei em cima da ponta de um vergalhão que ficou exposto depois da queda de um dos postes de iluminação,uma lembrança dolorida no dia,mas muito saudosa agora,por isso digo: não a demolição!!!!

  9. Jorge Antony F. Siqueira

    7 de janeiro de 2013 - 15:45 - 15:45
    Reply

    Caro Hiroshi, hoje (07/01) às 14:40 hs. passei por lá e ví 3 homens cavando ao lado esquerdo da ponte, próximo e logo atrás da Churrascaria Pôr do Sol. 07.01.13, Mba.-PA.

  10. Augusto

    7 de janeiro de 2013 - 14:00 - 14:00
    Reply

    e eu ainda sem saber onde fica o tal viaduto/ponte q estão falando…rs

  11. luiz pinho

    7 de janeiro de 2013 - 09:32 - 9:32
    Reply

    Caro Hiroshi, eu de novo
    As obras já começaram às 7 hs. desta manhã, estão colocando as manilhas,
    Cadê a Postura do município?
    Foi feito um estudo de impacto ambiental?, afinal, técnicamente é área de manancial,
    área está poluída?
    sim
    contaminada?
    sim
    degradada?
    sim
    assoreada?
    sim
    sem vegetação ciliar original?
    sim
    MAS TEM CONSERTO, TEM SOLUÇÃO, TEM COMO RECUPERAR
    Fico imaginando, diria ‘utopizando’, ver minha neta, que nascerá em março, com 10 anos de idade bebendo a água deste mesmo manancial sem medo de contaminação, como fazíamos ao beber água do Itacaiúnas na travessia das canoinhas, não custa nada sonhar.

  12. anonimo

    7 de janeiro de 2013 - 09:29 - 9:29
    Reply

    E tem mais, o nome “Nelito”, homenageia seu Nelito Almeida, patriarca da família Almeida, que morava logo àcima da ladeira, aonde hoje mora seu neto José Brito de Almeida Filho, e tinha gde comércio àbaixo da ladeira, na esquina dobrando à direita. Bons tempos.Bogéa conhece muito bem, era da área.

  13. anonimo

    7 de janeiro de 2013 - 09:24 - 9:24
    Reply

    Aos marabaenses da velha guarda, só prá lembrar, alí, antes de contruirem a ponte, havia um alagadiço permanente, e nas laterais, duas pontes longas e estreitas que davam passagem à apenas uma pessoa de cada vez, sendo um lado usado p/ir e o outro para vir, quem passou lá ,lembra bem. Um sofrimento, principalmente na época chuvosa.

  14. anonimo marabaense

    7 de janeiro de 2013 - 01:48 - 1:48
    Reply

    Não seria o caso de embargar a obra, nada que uma galeria ou manilhas não resolvam a questão…

    Meu pensamento!

  15. Goreth

    6 de janeiro de 2013 - 19:17 - 19:17
    Reply

    Hiroshi ai em cima no título o certo não seria DEMOLIÇÃO ?

    • Hiroshi Bogéa

      6 de janeiro de 2013 - 19:35 - 19:35
      Reply

      Claro, Goreth, o correto é demolição. Acho que estava “Domonizado”, mistura de “demônio irado”, só pode. Rs rs. Obrigado, querida, já está corrigido, graças à sua observação. Aliás, meus comentaristas são maravilhosos, tirando pequena parcela de patifes – os demais são low profiles.

  16. Luis Sergio Anders Cavalcante

    6 de janeiro de 2013 - 18:38 - 18:38
    Reply

    Hiro, lamentavel sob todos os aspectos essa malfadada intenção, seja de quem fôr. Perfeitamente brecável ainda. Agradecemos ao Luiz Pinho – salvo engano, é o Luiz Alberto Rocha Pinho. Em 06.01.13, Marabá-PA.

  17. luiz pinho

    6 de janeiro de 2013 - 17:52 - 17:52
    Reply

    Caro Hiroshi, complementando:
    -Conforme placa em bronze (coberta com muitas camadas de tinta)

    VIADUTO PROFESSOR DIONÍZIO
    BRITO DE ALMEIDA
    Construído na Administração
    PEDRO M. DE OLIVEIRA
    Em colaboração
    NELITO IND. E COM. S.A.
    Inaugurado no governo do
    TEN. CEL. JARBAS PASSARINHO

    12 = 1 = 66

  18. Augusto

    6 de janeiro de 2013 - 17:17 - 17:17
    Reply

    Viaduto? onde tem viaduto ali? pode explicar melhor a localização desse negocio?

    • Hiroshi Bogéa

      6 de janeiro de 2013 - 19:39 - 19:39
      Reply

      Chamávamos de “Ponte do Tibiriçá”, mas tecnicamente é um viaduto para passagem de carros e pedestres, com a canalização de águas de córregos antes existentes.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *