Lanterna, a modernidade

Publicado em 4 de novembro de 2009

“Se você levanta às três da madrugada para ir ao banheiro, compadre, por quê gastar este pouco de luz? Deixe a lanterna ali, na mesa de cabeceira”.

A sugestão acima é de Hugo Chave, pedindo aos seus compratiotas trocar o uso de  energia elétrica pela luz de mão. Tipo assim, como se sai pra porongar nos igarapés, só com a arma e a lanterna.

A lanterna, agora uma das opções do presidente da Venezuela para enfrentar o apagão que ameaça de novo o país, após uns cinco idênticos já ocorridos em seu governo, que não tem recursos suficientes para modernizar e ampliar a capacidade de geração do setor elétrico.