Hiroshi Bogéa On line

Justiça proíbe Helder e Elcione de realizarem caravanas eleitorais

 

 

Tribunal Regional Eleitoral do Pará, concedeu liminar ao Ministério Público Eleitoral proibindo o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), Elcione Barbalho e Helder Barbalho de realizarem encontros públicos que denominam de “Queremos Ouvir o Pará”.

Já foram realizados 39 desses encontros desde 25 de setembro de 2013, que a juíza considerou propaganda eleitoral antecipada, já que o início da campanha eleitoral só é permitido a partir do dia 6 de julho próximo.
A justiça considerou que o fato das reuniões serem convocadas pelas redes sociais e contarem com a presença de dezenas de pessoas e até políticos não ligados ao PMDB configura violação da legislação eleitoral. Pela lei, encontros, seminários e congressos partidários podem ser realizados antes do início da campanha, mas em ambientes fechados. Os 39 encontros realizados pelo PMDB e pelos pré-candidatos Elcione e Helder Barbalho não se enquadram no que é permitido.

O pedido para que os encontros sejam proibidos foi do MP Eleitoral, após investigação em que constatou que os dois pré-candidatos vinham se reunindo com a população de diversos municípios paraenses. Durante a investigação, alguns dos encontros foram gravados em vídeos que demonstram claramente o caráter de comício das reuniões. “Os eventos tem como finalidade a divulgação da pretensa candidatura de Helder Barbalho”, sustentou o MP Eleitoral.

Além da presença de grande número de pessoas não filiadas ao PMDB, políticos de outros partidos, como Carlos Bordalo e Beto Faro, do Partido dos Trabalhadores (PT), também estavam presentes aos encontros. “Os representados vêm se utilizando dos encontros como comícios, praticando verdadeira propaganda antecipada”, disse o MP à Justiça Eleitoral.

Em caso de descumprimento da ordem judicial, cada candidato e o partido deverão pagar multas de R$ 5 mil reais por comício.

 

Post de 

3 Comentários

  1. Luis Sergio Anders Cavalcante

    12 de março de 2014 - 06:16 - 6:16
    Reply

    Hirto, Justiça – no caso – a eleitoral, que tarda não é justiça. Depois que Inês já é falecida. Levantei essa lebre já faz enes mêses. Essa campanha de interiorização da imagem de Hélder à título de ” queremos ouvir o Pará” junto à população do sul/sudeste do estado, é pura balela e já leva algum tempo. Arrendamento de jornal e instalação de Rádios AM/FM da família, em nossa região, faz parte da trama política. E, pelo visto deu certo. Infelizmente, mais uma das oligarquias parauaras voltará ao comando do estado. Em 12.03.14, Mba.-PA.

  2. jose das gracas ribeiro

    11 de março de 2014 - 15:22 - 15:22
    Reply

    Se fosse um pre candidato nanico eu aposto se mp se manifestasse.E bricadeira.

  3. jr

    11 de março de 2014 - 10:05 - 10:05
    Reply

    isso mesmo MP. e verdade e propaganda antecipada.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *