Justiça nega liberdade de Pastor acusado de estupro continuará preso. Justiça nega pedido de liberdade

Publicado em 6 de abril de 2021

Na ultima segunda-feira, 5, os integrantes da Seção de Direito Penal, do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, negaram por unanimidade pedido de liberdade do pastor Rodrigo Silva Fabri, sob a acusação de estupro de vulnerável, no municipio de Novo Repartimento, região sudoeste do Pará.

O pastor esta preso no Centro de Recuperação Regional de Tucuruí, o acusado já havia pedido revogação de custódia em novembro de 2020, alegando constrangimento ilegal e a não existência de requisitos para a prisão preventiva, além de pedir a aplicação de medidas cautelares diversas à prisão, por possuir residência fixa e bons antecedentes, porém também foi negada.

Rodrigo, foi acusado de ter praticado atos libidinosos e de tentar praticar conjunção carnal contra uma menor em 2019, em sua residência, em dias e horários diversos, de forma livre e voluntária. Segundo a relatoria, a acusação foi fundamentada também por meio de escuta especializada, depoimentos de testemunhas e laudo de exame sexológico.

O homem aproveitava do fato de ser pastor na igreja onde a vítima frequentava, os fatos só foram descobertos pelos familiares depois que a vítima escreveu um bilhete a sua irmã em outubro de 2020, relatando o ocorrido, e as investigações foram iniciadas.

O pastor deve continuar preso até receber a sentença definitiva que não tem data definitiva para ser analisada.