Justiça de Parauapebas condena pré-candidato bolsonarista a deputado federal condenado por tiro fake e está fora da eleição 2022

Com informação do Blog do Zé Dudu:

 

O juiz eleitoral Celso Quim Filho, da 106ª Zona Eleitoral, em Parauapebas acaba de condenar JÚLIO CESAR ARAÚJO OLIVEIRA e AMAURY LARA ROSA FILHO, candidatos aos cargos de prefeito e vice-prefeito, respectivamente, no município de Parauapebas nas eleições de 2020 a inelegibilidade pelo prazo de oito anos, nos termos do artigo 22, inciso XIV, da Lei Complementar 64/90.

Julio Cesar e Amauri Lara eram investigados em Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) ajuizada pela COLIGAÇÃO PARAUAPEBAS DA PROSPERIDADE, bem como MICHEL NEVES WINTER, suposto mentor da campanha dos investigados, em razão do abuso dos meios de comunicação social cometido por eles ao explorarem excessivamente nas redes sociais o suposto atentado político contra a vida do investigado Júlio César a fim de promovê-lo politicamente.

O magistrado reconheceu que o suposto atentado contra o candidato foi usado de forma ilegal pela campanha de Júlio Cesar, no sentido de levar o eleitor a pensar que o suposto ato se deu por razões políticas, fato que futuramente seria desmentido pelos laudos apresentados por peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (veja aqui).

Michel Neves Winter, responsável pela campanha de Júlio Cesar nas redes sociais foi inocentado pelo magistrado por falta de provas.

Júlio Cesar está em campanha por uma das 17 vagas disponíveis ao Pará na Câmara Federal.

Da decisão (veja abaixo), cabe recurso, mas esta não tem efeito suspensivo, a não ser que seja concedida liminar no TRE-PA.