Hiroshi Bogéa On line

Justiça ao avesso

Sucessivos conflitos entre promotores e Judiciário, em Marabá, levaram o presidente da Associação dos Membros do Ministério Público ao município. César Mattar Jr. chega em boa hora.

Quem assistiu ao embate de juiz e promotor durante a ultima sessão do Tribunal do Júri que inocentou o principal acusado de ter matado um despachante do DETRAN de Marabá, saiu do fórum com a forte convicção de que a animosidade entre os dois segmentos está mais para ferrenhos inimigos comuns.

Expressões torpes, acusações levianas e comportamentos incompatíveis para togados, tomaram conta da sessão, transformando-a num verdadeiro festival de baixarias patrocinada pelos dois contendores, Juiz e Promotor.

Dizem que o réu teve comportamento mais republicano.

Pior: ninguém na imprensa local teve o simples trabalho de reproduzir as intempéries verbais construídas pelas principais autoridades do Tribunal de Júri.

E nem a Seção OAB-Marabá se manifestou.

Post de 

3 Comentários

  1. Anonymous

    16 de outubro de 2008 - 01:53 - 1:53
    Reply

    Viva a postura do juiz federal de Marabá. Ele pode ser um espelho para o judiciário. Com Haddad , Marabá só ganha.

  2. El Cid

    15 de outubro de 2008 - 13:59 - 13:59
    Reply

    É lamentável, quem deveria dar exemplos de conduta ilibada…

    Outro bom exemplo: O monumento erguido ao desrespeito e a corrupção. onde deveria ser a casa da lei e da órdem… Próximo a ponte sobre o rio tocantins, é simplesmente um atentado a dignidade de um povo.

    El Cid

  3. Anonymous

    15 de outubro de 2008 - 12:28 - 12:28
    Reply

    Com a palavra o combativo Promotor de Justiça, o marabaense Júlio César Souza Costa.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *