Hiroshi Bogéa On line

Joga fora no lixo

O poster acaba de chegar em São Domingos, onde parou para postar esta nota, antes de seguir viagem rumo a Piçarra e Parauapebas. Não dá para esperar a noite.

Grande parte da pavimentação da rodovia Transamazônica, recuperada no final do ano passado, já foi pro espaço. Material de péssima qualidade utilizado pela Egesa se esfarela como angu de peixe em contato com águas de chuva.

O Brasil precisa ser desratizado nessa área de obras em rodovias. Os empreiteiros e seus aquinhoados não páram de embolsar dinheiro público enganando o país, engabelando toda boa vontade.

O desespero – sim, é desespero diante de tantas bandalheiras -, é bem maior no interior da gente ao se constatar o distanciamento dos diligentes membros dos Miistérios Públicos em relação à pocilga.

Du-vi-dê-ó-dó se a coisa não tomasse novo rumo caso um promotor – ou procurador -, desses por aí de culhão roxo, saisse fotografando as marmotas escancaradas nas estradas e cobrasse explicações aos próceres das construtoras, independente de serem ou não provocados (criar jeitinhos para a tal ´provocação´ não é tão dificil!).

Como ninguém se autentica a dizer haver Justiça no País dos Empreiteiros, os caraíbas seguem fazendo fila de roubos.

E deixando rastro de acidentes nas rodovias.

Post de 

8 Comentários

  1. Ronaldo Barata

    30 de março de 2008 - 15:33 - 15:33
    Reply

    Caro Hiroshi
    Este é um país em que o conceito da palavra ÉTICA, só existe no dicionário. A falta de postura moral e decente que sempre perpassou a história do Brasil, se agravou ainda mais, a partir da tomada do poder pelo PT. Dai, não causar espécie e ser aceito silenciosamente pela população, o nosso presidente (em letra minúscula, DE PÚBLICO E COM POSTURA PALANQUEIRA, tecer lóas à figara execrável de um Severino da vida.Temo pelo futuro de nossos jovens.
    Com relação as obres que denuncias, so temos a esperar pela postura do Ministério Público, que for determinação constitucional deveria ser o fiscal intransigente de tais obras.
    Abraços do Ronaldo Barata

  2. Izabel Gaia

    30 de março de 2008 - 13:48 - 13:48
    Reply

    …ola Hiroshi, vc disse a palavra certa, DESRATIZAÇÃO. A estrada de canãa está na mesma linha da Transamazônica, uma vergonha de recapagem.

  3. Roberto C. Limeira de Castro

    30 de março de 2008 - 12:46 - 12:46
    Reply

    Ao anônimo das 7:55, diria que, o seu infeliz comentário defendendo a prática da ladroagem apenas confirma o nosso diagnóstico. Só que, em país de bosta, a gente dá descarga e desinfeta para tirar o fedor.Em caso de entulhos, em vez de ir embora, a gente manda os entulhos para o lixão e desratiza a área.Aliás, a CGU e a PF já vem fazendo isso há algum tempo, mas, a quantidade de roedores Murídeos já se alastrou de tal jeito, que o contágio da C(leptospirose) se espalha incontrolavelmente através da urina das ratazanas, principalmente, nessa época de chuvas torrenciais e enchentes.

  4. Anonymous

    29 de março de 2008 - 19:26 - 19:26
    Reply

    Hiroshi, aproveita então para por em prática teu faro jornalistico, para nos brindar com noticias fresquinhas de Parauapebas e Canaã, pois tu és craque nisso.
    Um abraço,

  5. Hiroshi Bogéa

    29 de março de 2008 - 16:58 - 16:58
    Reply

    Pois é William.. já me encontro no Peba, terrinha gostosa, construída cm muito cuidado pela sua gente.
    Estou cobrindo a inauguração da sede da Unimed na cidade.
    Um abraço, rapá.

  6. William Bayerl

    29 de março de 2008 - 13:13 - 13:13
    Reply

    De bom mesmo, só a notícia de que estará no meu querido “Pebinha de Açúcar” nesse final de semana.

    Seja bem vindo!!!

  7. Anonymous

    29 de março de 2008 - 10:55 - 10:55
    Reply

    Roberto Limeira se voce acha que este é um pais de “bosta” vá embora dele pois nosso Brasil é um ótimo pais e nao merece este tratamento.

  8. Roberto C. Limeira de Castro

    28 de março de 2008 - 16:21 - 16:21
    Reply

    A camada de tinta preta com listas brancas e amarelas para simular asfalto está presente em todas as estradas e ruas das cidades brasileiras, assim como, as onipresentes quadrilhas de desvio do dinheiro público.
    São as famosas pavimentações virtuais com uma camada de um centímetro de tinta preta emcima do barro puro.Depois, eles receberão outras empreitadas sem fim de operações tapa buracos, ondes receberão com os comparsas que aprovam, outros milhões em superfaturamento.A sua capacidade de resumir esse país de Bosta é impressionante, meu Caro Hiroshi. Quanto, aos culhões roxos, a última espécie recebeu impeachment em 1991. Aqui, quando o culhão é roxo, foi porrada mesmo.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *