João Galvão quer ganhar tudo na coordenação de futebol do Remo

Em contato com o blogueiro, o ex-treinador do Águia de Marabá, João Galvão, repetiu o que tem dito à imprensa: quer conquistar todos os títulos à frente do cargo de Coordenador de Futebol do clube azulino.

Depois de deixar o Águia, onde permaneceu por mais de 20 anos, Galvão aceitou o cargo oferecido a ele pelo presidente do Remo,  Fábio Bentes.

João afirmou que aceitou o desafio na carreira pelo convite de Bentes e pela organização que o Remo vem tendo nos últimos anos. “Aceitei o desafio pela organização do Remo com essa diretoria. Vêm mudando a história do Remo, o trabalho que tá sendo feito. É um desafio porque também já tive passagem pelo Remo. Fico feliz. Tinha tirado esse tempo pra descansar, com o convite do Fábio deixei o descanso pra depois. Vim porque é um clube de massa, respeito a torcida. Minha passagem foi em 87. Cheguei a fazer alguns amistosos, não assinei contrato. Muito orgulho depois de tantos anos retornar à essa casa aqui, que é o Clube do Remo”, disse.

Galvão também esclareceu como será sua função dentro do Baenão. “Essa função é um desafio. Já fazia na época de treinador. Aproximação do grupo, vestiário, elo de ligação com a presidência, continuar lado a lado com o executivo e com o Bonamigo”.

O profissional também falou em tomar a hegemonia no estado e foi taxativo ao afirmar que quer conquistar títulos.

“O Remo é um clube de massa, torcida que mexe com qualquer pessoa. Mostrei pro meu filho, o Danilo Galvão, o quarto que eu dormia aqui no Baenão. Tenho uma ligação muito forte com o Remo. Não sou de puxar saco de ninguém, a administração tá de parabéns e espero que a gente consiga resgatar o acesso à série B, o título de campeão paraense e o bicampeonato da Copa Verde. Não tenho papas na língua, vim pra buscar títulos”.

Questionado sobre como vai se comportar em jogos contra o Águia, João foi claro. “Coração é do Leão agora. Antes do Águia existir eu tive passagem pelo Remo. Tô sentindo uma corrente muito positiva. Isso dá mais motivação. Me dei muito bem com o executivo, o Nei Pandolfo. Isso deixa a gente à vontade pra trabalhar, com profissionalismo sempre fazendo o melhor pro Remo”.