Hiroshi Bogéa On line

Jatene volta atrás e repudia Amazonino

Governador Simão Jatene liberou há pouco Nota à Imprensa repudiando ato preconceituoso do prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PTB).

Íntegra da nota:

Nota à imprensa



Governo do Estado repudia discriminação de paraense


Diante dos lamentáveis fatos ocorridos ontem (segunda-feira), em Manaus, amplamente divulgados pela imprensa e pela internet, envolvendo uma cidadã paraense e o prefeito daquele município, Sr. Amazonino Mendes, o Governo do Estado do Pará se sente no dever de declarar o seguinte:

1. É inaceitável que, em qualquer circunstância, um ser humano sofra discriminação de qualquer espécie. É de se deplorar, portanto, a atitude de uma autoridade pública, eleita pelo povo, que, ante um problema social, mostra desequilíbrio e destempero e, não satisfeito em pedir que a mulher “morra”, em seguida, ao saber que é paraense, destila ironia e sarcasmo dizendo que “então está explicado”, deixando transparecer que todo o problema reside no fato da mesma ser paraense.

2. Certamente a atitude do prefeito não reflete o pensamento da maioria dos manauaras e amazonenses, que convivem há séculos e historicamente lutam bravamente com os seus vizinhos amazônidas por uma sociedade mais justa e fraterna e por uma Amazônia respeitada nacional e internacionalmente.

3. É fato que muitos paraenses migraram para Manaus em busca de dias melhores. Como é fato também que muitos amazonenses para cá vieram, fazendo companhia aos irmãos de outros Estados, em busca de um futuro. Em ambos os casos, os povos amazonense e paraense receberam os migrantes de braços abertos, e não haveria outra maneira de fazê-lo, já que somos todos brasileiros.

4. O Pará, através dos seus recursos naturais, sempre contribuiu para o desenvolvimento brasileiro, respondendo decisivamente para o superávit da balança comercial do país, graças às suas exportações, que, malgrado sua importância, não têm compensado os paraenses como deveria. As injustiças fiscais são uma das razões dos desequilíbrios regionais, pobreza e subdesenvolvimento, que, somados, forçam o povo a migrar para sobreviver. A realidade é dura para todos nós na Amazônia, e é incompreensível que haja rancores entre nós e, pior, alimentados por alguém que detém autoridade.

5. O Pará, formado pela soma de várias naturalidades e nacionalidades, lamenta o episódio em Manaus, mas há de compreender que, acima de tudo, deve estar a fraternidade entre os povos que sofrem igual e lutam por melhor qualidade de vida para todos, sem discriminação.

Por um Pará unido, por uma Amazônia unida, por um Brasil unido.

Belém, 22 de fevereiro de 2011.
——
NB –  É isso aí, governador.
Agora a população paraense sabe poder contar com  a reação firme do mandatário maior do Estado diante de fatos do gênero. Autoestima e honra são sentimentos bem mais importantes do que a parcimoniosa expressão  “interesse público”, equivocadamente expressa por uma Secom insensível á gravidade do fato.
Post de 

7 Comentários

  1. Anonymous

    27 de fevereiro de 2011 - 21:36 - 21:36
    Reply

    Concordo plenamente com o comentarista 22 de fevereiro de 2011 20:26….essa foi muito boa companheiro, parabens!!! Mas concordo tambem com nosso amigo Negeguinho do Codó, nós estamos sempre discriminando os maranhenses, e tambem Neguinho do Codó somos desciminados todos os dias pelo povo da capital e região metropolitana, vou mais alem ainda, somos discirminados pelo resto do pais, região sul, sudeste, na verdade somos um país de pessoas pre conceituosas, e que assim como as sepertentes, na primeira oportunidade que tem, destilam seus venenos, no nosso caso o pre-conceito.

    Ciriaco

  2. Waldirene Barreto

    23 de fevereiro de 2011 - 13:53 - 13:53
    Reply

    Atos impensados e irresponsáveis, que demosntram preconceito contra cidadãos oriundos de qualquer lugar, devem ser repudiados, e quando parte de um governante, merecem ser punidos à altura do cargo que exercem. "Nosso" governador fez o que se esperava mesmo, nem que seja, apenas pra ficar "bem na foto" com seus conterrãneos. Parabéns aos vereadores paraenses, pela nota de repúdio contra o Prefeito Amazonino.
    http://www.cmb.pa.gov.br/portal/noticias/901-camara-declara-amazonino-mendes-persona-non-grata-.html

    Ah, obrigada Hiroshi, por sempre nos informar sobre os acontecimentos importantes de nossa região.

  3. Anonymous

    23 de fevereiro de 2011 - 11:46 - 11:46
    Reply

    Discriminacao maior que a feita pelo prefeito de Manaus são as sofridas pelo povo do sul e sudeste do Para que aqui estao a muito tempo que embora tenham constituido familia aqui na região são tratados pelos paraenses como forasteiros.
    Doeu,bem feito.

  4. Anonymous

    23 de fevereiro de 2011 - 00:09 - 0:09
    Reply

    Até q em fim esse Lorota fez algo, pq no Renato Chaves nós não temos nem copo pra tomar água, pois o unico copo q não falta é o da cachaça do Diretor Orlando Salgado.

  5. Anonymous

    22 de fevereiro de 2011 - 23:26 - 23:26
    Reply

    A nota demorou e com certeza deve ter sido precedida de muitas explicações ao Amazonino:

    Jatene – Alô! Amazonino, sou eu o Jatene!

    Amazonino – Fala, companheiro velho!

    Jatene – Olha, amigo "véio" vou ter que soltar uma notinha por aqui, viu! Mas liga não, é só pra acalmar esses pobres que insistem em não morrer!

    Amazonino – Sei como é, esquenta não companheiro "véio"! Manda ver!

    Jatene – Valeu, reserva um camarote que vou assistir a Copa por aí. Vamos marcar uma pescaria qualquer hora dessas?!

  6. Anonymous

    22 de fevereiro de 2011 - 22:56 - 22:56
    Reply

    Paraenses,

    É bom, né? Sofrer na cara o preconceito, a dicriminação, né? Falo isso porque sou maranhense de Codó quando digo que sou de lá, pronto. É macumbeiro pra lá, pretinho do Sarney pra cá,sabe porque cigana não lê a mão de maranhense? Porque maranhense não tem futuro.. e por aí vai. Bem feito pros papa-chibés, sofram um pouco, também.Eu lamento isso, pois aqui em Marabá, pra cada dez habitantes, 4 são do Maranhão.E como a gente sofre.. Abaixo o preconceito.
    Atenciosamente,
    Neguinho de Codó.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *