Jatene defende maior protagonismo político da Amazônia

Publicado em 24 de maio de 2012

 

 

Foto: Cristino Martins/Ag. Pará

Durante a cerimônia de assinatura do memorando de entendimento para instalação do Núcleo Amazônico do Escritório Regional das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), o governador Simão Jatene fez um discurso (foto)  onde destacou a necessidade de ampliar o protagonismo político dos Estados Amazônicos. Jatene fez questão de afirmar que a Amazônia não pode mais ser vista apenas por aquilo que possui de pitoresco ou por sua importância natural. “O Escritório da ONU, que começa aqui no Pará de forma singela, terá um papel maior do que fomentar estudos e propostas para o combate ao crime organizado. Ele também vai ajudar a construir e a elevar uma voz amazônida sobre os desafios que pairam sobre essa região”, afirmou o governador.

Jatene disse ainda que, nos últimos quatro anos, a Amazônia conseguiu reduzir em dois gigatons as emissões de carbono equivalente para a atmosfera. Enquanto isso, por meio do Protocolo de Kioto, em todo o mundo, reduziu-se em um gigaton as emissões de carbono equivalente (CO2 e gases de efeito estufa). “Nós da Amazônia sozinhos reduzimos o dobro daquilo estabelecido pelo protocolo de Kioto. Uma região capaz de fazer isso não pode mais ser marcada por crimes e por índices primitivos de desenvolvimento econômico e social”, afirmou o governador.
Com esses discurso Jatene adiantou aquele que deve ser o tom da participação do Pará na Rio + 20, marcada para o mês que vem, e do que irá defender, no próximo dia 1 de junho, em Manaus, na reunião dos governadores da Amazônia Legal que irá finalizar a Carta conjunta a ser apresentada  no Rio de Janeiro durante a convenção organizada pela ONU. Os Estados Amazônicos querem ser protagonistas do seu desenvolvimento e, para isso, estão abertos para a construção de parcerias estratégicas.
A assinatura do Memorando de Entendimento entre o Governo do Estado do Pará e o representante regional para o Brasil e Cone Sul do UNODC, professor Bo Mathiasen, foi formalizada na manhã desta quinta-feira, 24, no auditório do Hangar, em Belém.
O escritório que deverá ser instalado em Belém, no segundo semestre deste ano, tem como principal objetivo seguir e aplicar as leis brasileiras e as normas das Nações Unidas e das Convenções Internacionais ratificadas pelo Brasil, em matéria de políticas públicas para a melhoria da qualidade de vida da população e a garantia dos direitos humanos na Amazônia paraense, podendo estender-se aos demais estados da região, por meio de instrumentos legais específicos.
O representante regional do UNODC, Bo Mathiasen, explicou que o papel da ONU tem mudado ao longo dos anos e a instalação do escritório na Região Norte tem a ver com essas transformações. “Sabemos que o Pará e a Amazônia possuem características peculiares e são regiões cobiçadas e muito vulneráveis. A criação do Núcleo viabilizará bases sólidas para pesquisas, investimentos e uma cooperação para prevenir a violência e para que possamos lutar por uma sociedade mais justa”, concluiu.