Instituto de São Paulo realiza pesquisa no Pará excluindo do questionário nomes de pré-candidatos ao governo

Está circulando nas redes e nos blogs uma pesquisa realizada pelo Instituto RealTime Big Data, que mostra o governador Helder Barbalho liderando com muita tranquilidade o cenário eleitoral do Pará com 62% da preferência popular.

O resultado é o que se constata em todo o Estado, basta dar uma viajada conversando: Helder dificilmente deixará de matar a eleição já no primeiro turno, não há concorrente à altura para derrota-lo.

Só que o instituto cometeu um grave erro passível até de uma ação judicial.

Ao elencar nomes dos pré-candidatos ao governo, a empresa paulista deixou de fora da lista nomes de dois pré-candidatos.

E a pergunta que interessa é saber se o instituto esqueceu ou fez de propósito, ao deixar de fora do questionário nomes do  Major Marcone (Solidariedade), que declarou sua pré-candidatura  ao governo há mais de três meses, trabalhando direto a campanha em andanças  pelos municípios; e  Professora Shirley Alves (Pros), outra que declarou sua pré-candidatura e está em intensa campanha pelas redes sociais, divulgando vídeos etc. (Veja questionário abaixo)

Numa pesquisa, essas duas pré-candidaturas excluídas do questionário da BigData logicamente que apareceriam pontuando percentuais que podem chegar até seis, sete pontos, somando citações dos dois;

Esses sete pontos, como exemplo, que seriam deles, iriam pra onde?

Os eleitores, na verdade, ficam prejudicados porque teriam a possibilidade de votar em A ou B, um dos dois.

E aí, qual alternativa esses eleitores têm?

Diante disso, o que pode acontecer?

Como o nome do pré-candidato que o eleitor pensa em votar não se encontra no questionário,  ele faz o que?

Ele recua.

E  destina seu voto a branco, indeciso  ou nulo.

Esse procedimento do instituto é algo inadmissível numa democracia, para o eleitor que não pode citar na pesquisa  o nome de seu candidato preferido.

O instituto tem que ser sério, pesquisar o cenário antes de planejar a pesquisa, pesquisar nas redes sociais, buscar informações no Estado, telefonar para a direção dos partidos procurando saber se a legenda tem pré-candidato, enfim, procedimentos simples e alcançáveis.

O Instituto Realtime BigData é de São Paulo, contatado pela CNN para realização de pesquisa nacional.

Para a empresa, importante é entregar o serviço o mais rápido possível, deixando de atuar de forma correta, pouco se importando com o resultado final da consulta popular.

Lamentável, profundamente lamentável.

Pesquisa pode ser conhecida neste link.