Hiroshi Bogéa On line

Sinobrás ratifica compromissos com sustentabilidade

 

 

Em cerimônia presidida pela Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o Instituto Aço Brasil e empresas associadas, lançaram, em Brasília, o “Protocolo de Sustentabilidade do Carvão Vegetal”, no qual ratificam o compromisso do setor com a produção sustentável desse insumo. Uma das associadas do IABr, a SINOBRAS, responsável por verticalizar o minério de ferro no Pará, se fez presente no lançamento.

O evento contou com a presença de representantes do governo, da cadeia minero metalúrgica e da imprensa. “Considero que a divulgação desse protocolo pelos produtores do aço é importante contribuição ao esforço do Poder Público em conscientizar os demais segmentos da cadeia produtiva em também terem compromissos de sustentabilidade social e ambiental na produção de carvão vegetal”, afirmou a Ministra.

Um dos pontos mais relevantes do documento é o compromisso da indústria do aço de atingir, em até quatro anos, 100% de florestas plantadas para atender à sua demanda de carvão vegetal. Em 2011, 80% do carvão vegetal consumido pela indústria do aço foi proveniente de florestas plantadas próprias, 10% de florestas plantadas de terceiros e 10% de resíduos florestais legalizados. Outra ação importante é a implementação de um Programa de Qualificação de Fornecedores. As empresas do setor farão a harmonização dos requisitos para avaliação e qualificação de fornecedores, mantendo relação comercial somente com aqueles que cumpram todas as exigências legais.

O presidente do Conselho Diretor do Instituto Aço Brasil, André Gerdau Johannpeter, também reiterou a importância dessa iniciativa voluntária do setor: “Com o lançamento do Protocolo, a indústria do aço reafirma seu permanente compromisso com a sustentabilidade. Nesse sentido, o uso de biomassa na produção de aço é uma vantagem comparativa do Brasil em relação aos demais países, por se tratar de um recurso natural renovável e, além disso, contribuir para a redução das emissões dos gases de efeito estufa”.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *