Hiroshi Bogéa On line

Imobilismo do setor produtivo

Pouca gente está sabendo. As audiências públicas que debaterão a implantação do Distrito Florestal Sustentável de Carajás serão fundamentais para a definição de espaços destinados ao plantio de florestas. Faltando apenas 12 dias para a primeira audiência (dia 14) de uma série de quatro, não se registra a mobilização de ninguém para a constituição de uma representativa delegação do Sul do Pará capaz de impressionar nas discussões e convencer com argumentos consistentes a ampliação do projeto para o maior número possível de municípios regionais. O DFSC pega parte do nordeste paraense ate o limite do Mato Grosso, Norte do Tocantins e oeste do Maranhão.
Se a turma descuidar, grande parte dos municípios do Sul do Pará não terá suas áreas degradadas incluídas no Cadastro Nacional de Florestas Públicas. As audiências ocorrerão entre 14 e 17 de maio nas cidades de Açailândia (MA), Araguatins (TO), Paragominas e Marabá (PA).

Post de 

1 Comentário

  1. Anonymous

    2 de maio de 2007 - 17:14 - 17:14
    Reply

    O Setor (IM)produtivo nao tem interesse, se o tivesse tinha participado efetivamente do seminario com proposta. Até por que demora um tempo pro Eucalipto crescer e depois eles querem mesmo é acabar com o que ja tem… o setozinho que destroi tudo.. TUDO PELA GANANCIA…..

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *