Hiroshi Bogéa On line

ICMbio forma monitores de Marabá para condução de visitações às unidades de conservação

tapirape
Monitores formados em Carajás

Encerrada a terceira e última fase do curso de formação dos monitores voluntários que serão os responsáveis pelo acompanhamento de visitantes da região de Marabá às unidades de conservação da natureza do Mosaico de Carajás.

Fruto de parceria entre o ICMBio, NEAM (Núcleo de Educação Ambiental de Marabá) e UNIFESSPA (Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará), a turma composta por 15 monitores, entre eles, estudantes universitários e técnicos, foi capacitada e está apta a conduzirem visitantes em todos os pontos turísticos e educacionais das Unidades de Conservação locais, com destaque para as Flonas (Floresta Nacional) de Carajás e Tapirapé-Aquiri, bem como a APA (Área de Proteção Ambiental) do Igarapé-Gelado.

Processo de formação contou com três fases, desde a teoria em sala até a prática em campo, onde os futuros monitores estiveram em contato com o ambiente de canga e demais particularidades locais (cavernas, trilhas e cachoeiras) da Flona de Carajás.

A Flona do Tapirapé-Aquiri em Marabá oferece diversos atrativos para a prática do ecoturismo e educação ambiental, e também entrou na rota de opções a serem visitadas e os monitores puderam conhecer todos esses pontos para posteriormente os utilizarem em práticas de caráter ambiental, formando uma nova consciência naqueles que estiverem a ser conduzidos por eles, sejam crianças ou adultos.

O processo de formação e capacitação foi conduzido pelo professor José Pedro  de Azevedo Martins da UNIFESSPA e coordenador do NEAM, juntamente com o apoio da professora Maria Antonia Araújo da rede municipal de ensino de Marabá.

Os monitores foram capacitados em visitas técnicas também realizadas à APA do Igarapé-Gelado, onde puderam conhecer a produção orgânica e sustentável das comunidades locais instaladas dentro da unidade de conservação, com destaque para os sistemas agroflorestais e o cultivo de hortas familiares, bem como a produção de açaí, cupuaçu, e demais espécies frutíferas em harmonia com a conservação do solo e dos recursos hídricos locais.

De acordo com o monitor voluntário e graduando de engenharia ambiental, José Fernandes de Oliveira, o curso de formação atendeu as suas expectativas quanto ao conteúdo, as experiências e aprendizagens construídas durante o curso. Segundo ele, tudo que foi assimilado durante todas as fases da formação poderá ser compartilhado aos visitantes, contribuindo com a disseminação da educação ambiental para toda a sociedade.

Dessa forma, após o término desta etapa, os monitores já estão aptos a receber visitantes de Marabá em caráter experimental com o acompanhamento de técnicos do ICMBio e dos professores responsáveis pelas turmas que serão recebidas, para em alguns meses, estarem totalmente responsáveis pela condução e formação de novos pensadores críticos ambientais, que é a principal função do programa, de formar pessoas e apresentar a todos a importância da preservação das unidades de conservação da natureza.

 

tapirape-2

Post de 

2 Comentários

  1. Rosenildo silva

    25 de fevereiro de 2018 - 10:06 - 10:06
    Reply

    as unidade de conservação, e tantos outros, tem um papel muito importante para a preservação do eco sistema Brasileiro, e o Pará um propulsor em situação de preservação do nosso eco sistema.

  2. Rosenildo silva

    8 de julho de 2017 - 23:15 - 23:15
    Reply

    boa noite como faço para fazer parte deste monitores suo formado em gestão Ambiental

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *