Hora do berrante

Começa a ser desvendado o insistente interesse da senadora Kátia Abreu (DEM-TO), presidente da Confederação Nacional de Agricultura, em soltar o grito a favor dos pecuaristas do Sul do Pará. Como uma arrivista, aquele que adora comer o resto das festas, ela estaria, na verdade, preparando terreno para trazer seu esquema político-empresarial para sentar pé em Marabá e região, de olho na compra de fazendas e em diversificar negócios mos municípios pólos.

Kátia Abreu é uma das vozes, ao lado de outros dois senadores do Tocantins – Leomar Quintanilha (PMDB) e João Ribeiro (PR) – a defender, no Congresso Nacional, a criação do Estado de Carajás.

Omar Antonio Hennemann , breve ex-secretário de Gestão Tributária e Captação de Recursos, de Maurino Magalhães, nem bem esquentou cadeira foi escalado para assumir a Secretaria Executiva do SENAR, Serviço de Aprendizagem Rural, do qual a senadora do DEM é presidente do Conselho Deliberativo.

Foi embora, é verdade, mas com um interessante banco de dados sobre a região para mapeamento da senadora e de seus escudeiros.