Hiroshi Bogéa On line

Histórias de Alda

A senhora da foto chama-se Alda Ribeiro, 82 anos.
O rapaz da foto emoldurada é filho dela, morto por militares na guerrilha do Araguaia.

Marido e filho mortos pelas balas do Estado na inóspita mata de São Domingos.
Alda tem uma linda História de vida. Triste, mas linda.
Porque ela enfrentou com dignidade os destemperos, sozinha, criando outros seis filhos.
Osvaldão morou na casa dela.
A guerrilheira Fátima foi morta num açaizal que existia na roça dos Ribeiro, onde se encontrava escondida.
Criméia Alice, hoje residente em São Paulo, tirada da guerrilha em estado de gravidez, tempos depois voltou a São Domingos para rever Alda, grande amiga de sua vida.
O poster tem um vídeo extraordinário gravado na casa dessa bela senhora brasileira-paraense-do-roçado.
Post de 

8 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    15 de janeiro de 2008 - 19:15 - 19:15
    Reply

    Agradeço, vereador.
    Abs

  2. Vereador Robson Messias

    13 de janeiro de 2008 - 00:40 - 0:40
    Reply

    Saudações Hiroshi, muito lovalvel essa sua atitude, parabens, temos que dar total apoio aos companheiros, que de forma Heroica sobreviveram.

  3. Hiroshi Bogéa

    11 de janeiro de 2008 - 20:49 - 20:49
    Reply

    Os vídeos.. não sei ainda. Estou analisando o destino deles. São vários. Tocarei o projeto somente este ano, com auxílio de outros profissionais amigos. Acho que eles tem múltiplas utilidades. Até em escolas, como proposta educativas e de consciência politica.
    Vamos ver o que fazer ainda.

  4. RICARDO ARACATI

    11 de janeiro de 2008 - 18:20 - 18:20
    Reply

    Prezado Hiroshi, e quanto ao video, qdo ira posta-lo?

  5. RICARDO ARACATI

    11 de janeiro de 2008 - 18:19 - 18:19
    Reply

    Prezado Hiroshi, mais uma vz, bela reportagem, espero que vc continue nos brindando com essa “HISTORIA” para que nao acabe no esquecimento da memoria brasileira…E estou pronto tbm para essa briga.

  6. Hiroshi Bogéa

    11 de janeiro de 2008 - 16:05 - 16:05
    Reply

    Ratificando: Guerrilha, não!
    Não houve guerrilha.
    Houve, sim, a maior caçada de um Exército a oitenta jovens perdidos na mata. E a seus inocentes protetores ocultos: os colonos do Bico do Papagio.

  7. Hiroshi Bogéa

    11 de janeiro de 2008 - 16:03 - 16:03
    Reply

    Basta conversar dez minutos com Alda pra você escrever com paixão. Ela é uma paixão.
    Um mimo de brasileira que o governo desrespeita até hoje sem reconhecer seus direitos.
    Estou na briga pela indenização das vítimas da guerrilha, Juva.
    Abs

  8. Juvencio de Arruda

    11 de janeiro de 2008 - 15:47 - 15:47
    Reply

    Belos, Hiro, belos.
    O post, a foto, e a dona Alda.

    Abs

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *