Hiroshi Bogéa On line

Habemus Papa, Pastor, Curandeiro…! O sincretismo religioso no palco do Centenário de Marabá

 

 

Postando em murais de seus facebook (são três perfis lotados, e um quarto em acumulação de amizades, com mais de 17 mil seguidores), o prefeito de Marabá fez esclarecimento definitivo sobre a programação de shows do Centenário de Marabá, na tentativa de reduzir pressões de religiosos pedindo a contratação de cantores que atendam seus gostos musicais.

De cara, fica explícito, com o post de João Salame, que o empresariado local é quem está arcando os investimentos das contratações, considerando as condições financeiras atuais da prefeitura.

Como os evangélicos bateram pé  exigindo artista gospel, agora quem faz pressão são os católicos.

Diante do caldeirão em efervescência, o  poster acaba de sugerir ao secretário de Cultura, Cláudio Feitosa, a busca de algum empresário kardecista para tentar sensibilizá-lo a contratar cantor consagrado na área espírita.

Da mesma forma, para não perder o embalo, aconselhou o secretário a localizar comerciante ligado  a religião derivada do animismo africano – em outras palavras, candomblé – para trazer, também, seu astro preferido, destinando palco para este  cultuar – ao som de atabaques e tambores -,   os orixás, voduns e nkisis.

Há informações, não confirmadas, de que Feitosa estaria tentando contato com Chico Xavier, através de mensagens psicografadas.

Embora o parágrafo acima tenha sentido irônico, só assim para lamentar a destinação que algumas pessoas estão querendo dar a  uma programação de caráter comemorativo do Centenário do Município, exclusivamente  elaborada para o entretenimento e o exercício cultural.

Lamentável.

A seguir, esclarecimento do prefeito de Marabá extraído do face:

 

——————–

 

 

Muitas pessoas tem me ligado ou postado no face reclamações pela falta de cantores católicos na programação do aniversário de Marabá. Antes muitas pessoas reclamavam que não tinha cantores evangélicos na programação. Depois que foi divulgado que o André Valadão virá, agora os católicos reclamam.
Na realidade a prefeitura não tem dinheiro para bancar os shows que estamos trazendo. São empresários que estão patrocinando. Pelo simples fato de que temos que priorizar o pagamento dos salários atrasados dos servidores, colocar para funcionar o Centro Cirúrgico do Hospital Municipal, reformar e construir escolas, garantir a merenda escolar, limpar a cidade e recuperar as ruas que estão intrafegáveis.
Depois que divulgamos que Zeca Baleeiro, Zeca Pagodinho, Lya Soares, Cesar Menotti e Fabiano e Djavan viriam, patrocinados pelas empresas locais, um empresário evangélico nos procurou e decidiu pagar a contratação dos cantores André Valadão e Mila Carvalho. Também acho que deveríamos ter um cantor católico. Estamos esperando que os empresários católicos, que são em número muito maiores que os evangélicos em Marabá, também façam a sua contribuição. Estou fazendo contato com alguns deles e quem tiver condições de contactar algum empresário que o faça. Mas não posso abrir mão de pedir a contribuição dos empresários, que ganharam dinheiro e se consolidaram nesses cem anos de Marabá. Chegou a hora deles homenagearem a cidade que lhes deu o que possuem. Afinal não é todo dia que comemoramos cem anos!
Post de 

16 Comentários

  1. Ramundo santos

    15 de março de 2013 - 13:24 - 13:24
    Reply

    meus amigos …! sem ofensas. mais para mim a melhor opinião foi quem defendeu, a opinião sobre não misturar as coisas (religião,pagode,sertanejo ,cerveja e outros ,DEUS mereçe respeito , hora e lugar para ser cultado, politica e religião e uma lição que a igreja catolica já aprendeu,exemplo que deveria ser seguido,mas ao contrario muitos irmãos varias religões estão se envolvendo usando o nome de Deus em praticas politicas,shows e outras coisas do mundo moderno. eu imagino que Deus está triste com tudo isso !!! ( DEUS NÃO É DEUS DE CONFUSÃO) 1corintios 14:33)

  2. Adir Castro

    15 de março de 2013 - 08:49 - 8:49
    Reply

    Jorge Antony F. Siqueira, dízimo e ofertas são iguais a impostos. Pagamos ou deixamos de pagar os impostos, porque eles são desviados? Entenda que a concepção de quem está numa igreja, seja católica ou evangélica, é a mesma em relação aos impostos. Eu entendo que o dízimo deveria ser usado para promover o bem-estar do cristão fiel daquela igreja a que ele pertence. Se o dízimo, como recomenda a Palavra, deve ser aplicado na obra, então pergunto: qual a maior obra de Deus? O homem, ora. Não são templos, como muitos pregam e tantos acreditam. A obra é o Homem. No entanto não é isso que vemos. Mas a pessoa que tem fé, e isso é algo muito sério, tanto no campo religioso, político e etc, fala exatamente isso: “Eu dizimo, se o dinheiro é roubado, o problema não é meu”. Já no campo político as pessoas, conscientes dos desvios dos impostos que deveriam ser usados para promover o bem-estar da comunidade, dizem o seguinte para justificar o sumiço do dinheiro pelo político que ele elegeu: “Ele rouba, mas faz”. E assim estamos caminhando.

  3. Jorge Antony F. Siqueira

    14 de março de 2013 - 20:00 - 20:00
    Reply

    Não estou a defender a católica ou qualquer outra. Em nenhum momento falei isso. A católica, hipócritamente tem evitado enfrentar devidamente seus problemas internos e mantem esse absurdo conservadorismo quanto ao aborto, pedofilia e outras pendencias. Esclarecido a questão da católica ? Agora, sob essa esfarrapada desculpa de “elas são falhas porque são dirigidas por homens”. É o mesmo que admitir : Fulano faz porque eu tambem não ? Ora, vamos e convenhamos, se frequento e congrego em determinada igreja e percebo nalgum Pastor, Bispo ou coisa que o valha, falhas, principalmente aquilo que mais se ouve e vê nas evangélicas, a captação e uso em proveito proprio pelos líderes, do que é arrecadado(dinheiro) a título de dízimo, caso não denuncie e combata o caratonha, estarei sendo, talvez não conivente, mas com certeza omisso, sim. Já conversei com muitos e muitos evangélicos a respeito disso(arrecadação) e a resposta é tão simplória, ingênua quanto descabida : “Eu dôo o meu dízimo, agora se desviam pra outras finalidades não é problema meu”. 14.03.13, Mba.-PA.

  4. Maria

    14 de março de 2013 - 13:05 - 13:05
    Reply

    O escândalo do vaticano é uma história cheia de traição, métodos obscuros, soldados do Altíssimo que lutam pelo poder com armas do demônio, um mordomo ladrão, um papa doente e um banco que usa o nome de Deus em vão.

  5. Evangélica

    14 de março de 2013 - 12:50 - 12:50
    Reply

    Jorge Antony Siqueira, blá, blá, blá (leia bem devagar)….o assunto aqui é outro. Mas quer mesmo falar de riqueza nas igrejas? q tal começar pela FORTUNA do Vaticano. Uma fortuna que tb vem dos fieis católicos. Fortuna essa q agora está vindo à tona o escândalo com a renúncia do Papa Bento. Até ele não aguentou o q viu na cúpula de sua igreja! Sem falar na pedofilia.
    Ninguém aqui está defendendo igrejas..todas elas são falhas pq são dirigidas por homens.

  6. EVANGÉLICO

    14 de março de 2013 - 12:38 - 12:38
    Reply

    Só sei de uma coisa Deus não está nessa briga…os 10 mandamentos se reduzem somente em dois que são:

    1- Amar a Deus acima de tudo;
    2- Amar ao próximo como a tí mesmo;

    Essas discussões não levam a nada vamos nos unir meu povo, se o evento é gospel pode ir todo mundo evangélicos, não evangélicos, católicos, ubandistas em fim todos que gostam de ouvir a palavra de Deus através de louvores, que gostam de ouvir a música gospel… ( a música gospel é um segmento como qualquer outro, a diferença é que glórifica o nome de Deus) não existe placa de igreja nos eventos gospel que acontecem em nossa cidade…hoje em todas as cidades tem uma noite em suas festas de aniversário, isso hoje é comum assim como tem as noites com cantores seculares…

  7. anonimo

    14 de março de 2013 - 12:09 - 12:09
    Reply

    E o búfalo do marajó não vai vim não rssss ……

  8. Clésio Fima

    14 de março de 2013 - 11:30 - 11:30
    Reply

    Pra Brilhantar mais ainda os 100 anos faltou Apenas um rapaz latino – Belchior.

  9. Alberto Lima

    14 de março de 2013 - 11:04 - 11:04
    Reply

    O problema é esse:

    Muita gente se preocupa mais com a religião do que com Jesus/Deus!
    Tanto Católico, quanto Evangélico, quanto macumbeiro, etc…

    Deus é bom!

    Jesus com seus ensinamentos é bom!

    Religião é mundano e humano! Todas elas!

  10. Jorge Antony F. Siqueira

    14 de março de 2013 - 09:43 - 9:43
    Reply

    Ô “Evangélica” às 20:13 hs. 13/03/13, foi manchete de capa da revista Forbes : ” Religião sempre foi um negocio lucrativo”. A revista afirma, após pesquisas encomendadas, que os números abaixo, referem-se “às fortunas pessoais” dos líderes evangélicos, ou seja, a dinheirama arrecadada à título de “dízimo” é revertida para as contas dos gabirús milionarios. NOMES : 1-) Edir Macedo, I. Universal do Reino de Deus RS 2 bilhões de reais, 2-) Valdemiro Santiago, I. Mundial do Poder de Deus RS 400.000.000,00 de reais, 3-) Silas Malafaia, I. Assembleia de Deus Vitoria em Cristo RS 300.000.000,00, 4-) R. R. Soares, I. Internacional da Graça de Deus RS 250.000.000,00 5-) Estevam Hernandes/Filho e Bispa Sônia, I. Renascer RS 120.000.000,00 . Citou-se tambem como exemplo, o Sr. Malafaia que paga RS 20.000,00 mensalmente aos seus “Pastores”, visando a não migração para Igrejas concorrentes, sendo comum nessas igrejas citadas a prática. Portanto “Dona Evangélica”, não me venha com blá, blá, blá….14.03.13, Mba.-PA.

  11. Evangélica

    13 de março de 2013 - 18:25 - 18:25
    Reply

    Comentário mais besta esse do Júlio Wanzeler. Esse comentário é típico de pessoas que frequentam as igrejas e são partidaristas da religião e não do evangelho. Pessoas que têm uma religião e se apegam a ela como uma válvula de escape e usam uma igreja para condenar as demais. Comentário carregado de religiosidade morta e preconceituoso. Nós evangélicos não vamos aos shows gospels “apenas para namorar pq é proibido em casa e na igreja”. Esse é um pensamento retrógrado de alguém desinformado e preconceituoso. E se fosse isso? O que teria demais em ir a um show gospel pra namorar? Muitos frequentadores do catolicismo vão ao terreiro de macumba, fazem mandingas e no domingo vão receber a comunhão ficam bêbados nos shows que vão e etc. Eaí? Ir a um show gospel é fichinha diante disso.

  12. Telma

    13 de março de 2013 - 17:52 - 17:52
    Reply

    Estado e religião deveriam andar separados, apenas isso.

  13. Adir Castro

    13 de março de 2013 - 14:57 - 14:57
    Reply

    Lendo sobre essa reclamação, me reporto para o tempo em que trabalhava num comércio e chegou uma equipe de jornalistas ingleses que iriam para o Xingu fazer uma matéria com os índios. Eles vieram comprar chapéus de palha para levar de presente para os índios. Estavam escolhendo os chapéus aleatoriamente, quando foram avisados pela equipe de funcionários da FUNAI que não poderiam colocar chapéus com fitas de cores variadas; as fitas, os modelos e os detalhes teriam que ser iguais em todos os chapéus, disseram eles. Então perguntei o que aconteceria se entre os chapéus tivesse uns três com detalhes diferentes. Eles responderam: – Eles brigam entre si na disputa do chapéu diferente.

    Agora o prefeito passa a “sacolinha” entre os empresários católicos, que segundo ele já ganharam rios de dinheiro e têm, por isso, que contribuir para realização da festa, levantando assim recursos para trazer algum artista católico para cantar no Centenário de Marabá.

    O jargão “é dando que se recebe”, se faz jus em Marabá.

  14. julio wanzeller

    13 de março de 2013 - 12:51 - 12:51
    Reply

    É isso aí J Salame. Sou adepto do catolicismo, e acho que é por aí. Nada a ver essa disputa besta, querendo concorrer com os evasngélicos. A política deles é assim, e vamos respeitar. Vamos combinar: algum idiota pensa que show gospel aumenta a devoção ou numero de fiéis de alguma igreja? Pura leviandade. Quem vai a esses shows, na maioria esmagadora, são jovens que praticam somente paquera (saudaveis por siunal), pois não tem liberade em casa e muito menos nas igrejas para tal. Vamos deixar de frescuras. Deixem eles gastarem a grana que lhes é dada todo mês pelos pobres fiéis. Dinheiro desses empresários é que não é. Ponto final. Cada qual cuida de seu destino. Quanto a católica, tem mais é que continuar com suas muitas obras sociais importantes que mantém. Nisso sim esta igreja é competente, alguém me contesta??????? Vamos lá Salame, cultura no povoÉ disso que precisamos. Lugar de oração é nas IGREJAS.

  15. Adir Castro

    13 de março de 2013 - 11:33 - 11:33
    Reply

    Esse negócio de pão e circo, nos tempos atuais, tem que ser pensado nessas ecleticidades, pra que a aldeia não fique em polvorosa.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *