Hiroshi Bogéa On line

Há quase 40 anos, Transbrasiliana só desrespeita passageiros no Sul do Pará

 

Pouca vergonha, essa é a forma mais educada de fazer referência à falta de respeito da Transbrasiliana para com seus passageiros.

A empresa, que transporta cargas e pessoas, atua na região desde 1976. Antes disso, era conhecida como Expresso Braga.

Os veículos quando não estão sucateados, é uma imundice só.

As acomodações são sujas,  e o barulho que fazem poltronas quebradas e peças soltas,  é irritante.

Outro fator recorrente nos ônibus da empresa é o odor dos banheiros.

As fotos a seguir são do interior de um ônibus que faz linha de Imperatriz a Marabá.

Transabrasiliana

 

Transabrasiliana 2

 

Transabrasiliana 3

“Engraçado é que as piores frotas estão aqui, no Sul do Pará.  Na região Sudeste,  os ônibus nem parecem ser da mesma empresa, acho que é pela comodidade dos usuários da nossa região (Pará), que aceitam passivamente a postura desrespeitosa da transportadora”,  diz motorista de ônibus que já trabalhou na empresa. (Repórter Eliane Gomes)

Post de 

4 Comentários

  1. apinajé

    15 de janeiro de 2014 - 14:51 - 14:51
    Reply

    olá pessoal!
    esse realmente é um problema de “longa data”,na década de setenta quando minha casa em São Domingos,era a parada de ônibus, o expresso braga,como lembrou em seu comentário F.S.P.
    vejo que a coisa piorou,condições dos ônibus cada vez mais precárias,ou morre-se por traumas da batida ou de tétano,é muita ferrugem!(possibilidade aumentada com a queda na produção de vacina)se por sorte escapar dessas duas possibilidades,tem ainda uma terceira e muito mais provável,os vagabundos que muitas vezes embarcam como simples passageiros para num ponto do trajeto previamente escolhido,limparem todos os ocupantes do coletivo…quem mora na região sabe bem que do que estou falando….não é só a empresa de transporte que vai ladeira a baixo,ela é apenas um pequeno exemplo do “coletivo” chamado Brasil.

  2. ithallo

    14 de janeiro de 2014 - 18:24 - 18:24
    Reply

    voces ja viram as estradas do centro oeste e as nossas , nao muito longe no tocantins, no caso maraba xinguara

  3. Francisco Sampaio Pacheco

    14 de janeiro de 2014 - 15:32 - 15:32
    Reply

    Caros,

    Quando penso que essa coisa já nos transportou tantas vezes Marabá/Belém, cujo nome era Expresso Braga, me fazendo lembrar da matéria sentado no banquinho lá da praça só porque. Tenho que lembrar, me faz bem! Era de lá, do largo da praça Duque de Caxias que embarcávamos.
    Esses carniceiros acham que Marabá é o quintal do Sudeste. Quando acontecer um acidente grave, quem sabe assim essa corja possa tomar vergonha. Fala sério!

    Saudações marabaenses!!

  4. Antonio Carlos Pereira Santos

    14 de janeiro de 2014 - 14:51 - 14:51
    Reply

    Sr. Hiroshi, diria que, em parte, o profissional do volante, tem razão. O usuário prejudicado, obrigado a viajar nesses veículos sucateados, às vezes até reclama a quem devia, porém, não encontra eco e desiste. O cartel é forte e faz lobby com sucesso, pois, como bem colocas, há 40 anos a concessão se mantém. Governos se sucedem e independente de coloração partidária, a Transbrasiliana mantem a “licença” e continua a explorar o consumidor. Nesse caso, como afirma o ditado popular, o “buraco” não é “mais embaixo” não, é muito acima mesmo. Em 14.01.14, Mba.-PA.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *