Greve geral prossegue sem que prefeitura acene com algum acordo. Servidores prometem aumentar pressão

Os servidores da prefeitura de Marabá prosseguem em seu terceiro dia com a greve geral, iniciada na última segunda-feira, 23.

Ontem, manifestantes fecharam a avenida VP-8, principal do Núcleo Nova Marabá, paralisando as atividades no Centro Administrativa.

Nesta quarta-feira, os servidores em greve estão concentrados em frente ao prédio do Ministério Público.

Levantamento do Sintepp (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Pará) dá conta de que 70% das escolas estão paralisadas.

Desse total,  100% estão totalmente  sem atividades, enquanto outras mantém 40% em funcionamento, mas com indicativo de que nas próximas horas  também fecharão todas as portas.

Mais tarde, o blog voltará com atualização de números do movimento que reivindica melhorias aos servidores públicos.

————–

 

Atualização às 10:53

Conforme dados do Sintepp, na área de Saúde, o movimento paredista  conseguiu paralisar cerca de 70% das atividades.

Geralmente, quem está trabalhando nas área são aqueles que têm cargos comissionados, afetados por portarias.

“A greve iniciou dia 23, justamente por falta de diálogo de mesa de negociação do governo. Nós temos seis pontos de pautas prioritários: o piso de 33% dos professores, o retroativo de 2016 do piso, a hora/atividade, o reajuste do Vale-Alimentação,  a redução para 30 horas da jornada de agentes de portaria e a ASG e o reajuste dos plantões”, explica  Joyce Cordeiro Rebelo, coordenadora geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp)