Hiroshi Bogéa On line

Greve geral pára calendário de aulas

 

 

Marcada para segunda-feira, 26, assembléia geral do Sintepp onde haverá explicações detalhadas dos fatos que motivaram a decisão da categoria ratificar o estágio de greve, convocado pela executiva estadual do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Pará.
A deliberação da já foi tomada.

Até o final desta sexta-feira, 23, a entidade anunciará horário e o local da assembleia.

Post de 

19 Comentários

  1. VJ

    28 de setembro de 2011 - 12:00 - 12:00
    Reply

    O anonino é tão “frouxo” que nem tem coragem de peo menos dar um nome ficticio, a maioria sempre “ENFIA O RABINHO ENTRE AS PERNAS”, vai ver é parente do jatene ou mais um tucano no galho que nao faz nada

  2. VJ

    28 de setembro de 2011 - 11:56 - 11:56
    Reply

    Esse pessoal que criticam os trabalhadores em educação, que para os leigos, não são somente os professores, devem ter estudados nas melhores escolas, pois se hoje existe alguma melhora na educação foi graças aquelas pessoas que se sacrificaram e se a educação no país é uma vergonha, a culpa não será somente dos professores, mas de todos aqueles que “FICAM COM O RABO ENTRE AS PERNAS”, ganhando seu salarinho de “PUXA SACO PARTIDARIO” e dos “POLITICOS CORRUPTOS”.

    Querem mudar as coisas, mas as custas do sacrificio de poucos…

    CRIEM VERGONHA NA CARA e ajudem na melhoria da educação e VÃO LER REALMENTE O QUE ESTÁ OCORRENDO PARA NÃO FALAREM ASNEIRAS E SE PASSAREM PO IDIOTAS.

  3. Goreth

    26 de setembro de 2011 - 17:54 - 17:54
    Reply

    Querer a sociedade pressionando o Governo para que tente resolver o impasse é chantagem? E querer que o trabalhador abra mão de seus direitos legítimos e legais pra não prejudicar uma parte da sociedade é o quê?
    Uma coisa é certa ninguém quer arcar com o ônus.
    Esses jovens podem ficar sem o conteúdo acadêmico por alguns dias, mas levam uma lição para casa: “- a lição de cidadania”.Aprendem que todo cidadão deve lutar por seus direitos, aprendem a não se curvar diante de alguém que foi eleito para representar o povo, aprendem que não podem deixar que ninguém lhe negue os seu direitos”.
    Os estudantes brasileiros deviam tomar os estudantes de um país vizinho como inspiração e lutar por melhores escolas e mais vagas nas universidades públicas. No entanto enquanto perdurar a mentalidade dos filhos da ditadura dentro dos lares, incutindo idéias de obediência e resignação; acredito que terão que se contentar em disputar vagas nas universidades ,disputar uma ficha na fila do PS, esperar 1 ano para ter tratamento pelo SUS e sofrer quando não obtiverem sucesso.

  4. Luis Sergio Anders Cavalcante

    26 de setembro de 2011 - 08:18 - 8:18
    Reply

    Ô Goreth, ” e se a sociedade pressionar o governo ” ora vamos, estás tentando transferir – equivocadamente – a responsabilidade pela greve para os pais/responsaveis pelos alunos. Isso é chantagem. Disse e repito : O movimento paredista é legal e aceito, só precisa ser redirecionado a quem realmente detém a culpa pela situação, que, com certeza não se encontra aquí na cidade, como vc. mesma denuncia. Impor prejuizos à outrens é radicalismo obsoleto, embora alguns ainda o pratiquem. Em 26.09.11, Marabá-PA.

  5. Goreth

    24 de setembro de 2011 - 02:15 - 2:15
    Reply

    Infelizmente o SINTEPP tentou de tudo para que esta grve não saisse ,mas o governo rompeu o acordo feito para que não houvesse greve. O governo está descumprindo uma lei federal e desobedecendo uma decisão do STF- Supremo Tribunal Federal.
    Se ele não respeita nem a maior instância jurídica do país , o que mais poderíamos fazer? Acho que a greve é a última saída e se a sociedade pressionar o governo ,em vez de tentar achar desculpas e culpados onde não há, talvez a greve seja rápida e não haja grandes prejuízos. A greve é um direito de todo trabalhador assim como obedecer as leis é uma obrigação de todo cidadão. Se o Jatene decidir cumprir as leis e o que havia sido acordado com a categoria a greve acaba.

  6. Goreth

    24 de setembro de 2011 - 00:57 - 0:57
    Reply

    Será que é realmente por falta de gente competente ou será porque um Químico, um Físico ou Matemático pode chegar a ganhar cerca de 20 mil reais na iniciativa privada?
    Quanto as ofensas pessoais acho que são comum a gente despreperada. Mas uma outra hora podemos discutir sobre a saúde do trabalhador , o salário que recebo não custeia nem a metade do meu tratamento médico e não desejo a nenhum ser humano que passe pelo que estou passando. Porém se fosse você no meu lugar talvez tivesse morrendo a míngua por não ter condições de custear o tratamento, porque a saúde é outra grande bandalheira no Pará.

  7. Karla, A Spam

    23 de setembro de 2011 - 23:21 - 23:21
    Reply

    Wendel e goreth ~são dois servidores que não gostaram de trabalhar.
    O wendel virou sindicalista profissional, acho que ja ate mudou o regimento do sindicato pera se perpetuar no sindicato como os ditadores chaves e fidel.
    A gorethe, nunca gostou de trabalhar é so de licença saúde, na pasta funcional dela deve ter mais atestado medico que dias trabalhado.
    O wendel,se rendeu ao governo maurino.Não se posiona contrario as aberrações, as perseguições cometida contra os servidores, tudo patrocinado pelo secretario adjunto disnei.
    Por isso o sindicato vem perdendo a credibilidade, vão assistir a assembleia de segunda feira e verifique a quantidade de servidor que vãao estar la.
    Qualquer decisão que eles tome, não tem validade. Pois não tem representativide da maioria da categoria.

  8. Luis Sergio Anders Cavalcante

    23 de setembro de 2011 - 19:06 - 19:06
    Reply

    Seria interessante que os grevistas dissessem em público qual a culpa dos alunos no processo. Não sou contra o movimento paredista. Deveria ser redirecionado, literalmente, para os que são culpados principais. Greve prejudicando alunos. Achei – erradamente – que o movimento sindical (SINTEPP) já tinha passado e estava bem adiante dessa fase de radicalismo contra alunos. Me enganei. Em 23.09.11, Marabá-PA.

  9. anonimo

    23 de setembro de 2011 - 17:41 - 17:41
    Reply

    No concurso do Estado para a area de exatas nao passa ninguem pois a formacao de base matematica (raciocinio) passada por professores de ma formacao e professores que todo ano entram em greve e pessima.Nao e a toa que a maior parte das vagas ocupadas nas areas tecnologicas das universidades do Para sao ocupadas por gente de fora ficando para os Paraenses somente os cursos das areas de humanas e direito.
    Ha excessoes de nativos que passam,porem os edificios que os mesmos constroem costumam a cair por erro de calculo.

  10. Wendel Lima Bezerra

    23 de setembro de 2011 - 16:17 - 16:17
    Reply

    Caso os senhores e senhoras não saibam nossos filhos também trabalham estudam nas escolas públicas do município e do estado…
    Pelo menos nós lutamos para melhor ps nossos salários e a qualidade do ensino nas escolas… E v ocês lutam pelo que?

  11. Goreth

    23 de setembro de 2011 - 15:54 - 15:54
    Reply

    Bem das 9:54 você deve ter razão , vamos todos abandonar a educação e procurar trabalho com remuneração digna e adequada com nossas qualificações profissionais. Já posso adiantar que existem muitos colegas decepcionados com a profissão e trabalhando a perpectiva de abandonar a educação.
    Essa é concepção da sociedade. Já sobram vagas nos cursos de licenciatura porque ninguém quer ser trabalhador sem valor. No concurso do Estado para professor nas áreas de exatas tem localidade que não teve nenhum aprovado. Talvez ! Quando além de giz e carteira também não existir mais ninguém pra dar aula; a sociedade entenda que professor merece respeito,condições de trabalho e salário digno. A greve dos professores no Pará é motivada pelo descumprimento de leis FEDERAIS e ESTADUAIS por parte do governador Simão Jatene.Ah sim ia esquecendo , é também por quebra de acordo por parte do governo. Infelizmente nós já estamos pagando e os seus filhos terão também que pagar pelo voto mau dado na eleição. Pensem nisso na próxima eleição.

  12. Goreth

    23 de setembro de 2011 - 15:51 - 15:51
    Reply

    Bem das 9:54 você deve ter razão , vamos todos abandonar a educação e procurar trabalho com remuneração digna e adequada com nossas qualificações profissionais. Já posso adiantar que existem muitos colegas decepcionados com a profissão e trabalhando a perpectiva de abandonar a educação.
    Essa é concepção da sociedade. Já sobram vagas nos cursos de licenciatura porque ninguém quer ser trabalhador sem valor. No concurso do Estado para professor nas áreas de exatas tem localidade que não teve nenhum aprovado. Talvez ! Quando além de giz e carteira também não existir mais ninguém pra dar aula; a sociedade entenda que professor merece respeito,condições de trabalho e salário digno. A greve dos professores no Pará é motivada pelo descumprimento de leis FEDERAIS e ESTADUAIS por parte do governador Simão Jatene.Ah sim ia esquecendo , é também por quebra de acordo por parte do governo. Infelizmente nós e os seus filhos terão que pagar pelo voto mau dado na eleição. Pensem nisso na próxima eleição.

  13. anonimo

    23 de setembro de 2011 - 09:54 - 9:54
    Reply

    Na verdade estes grevistas so defendem o salario deles,quanto a educacao pouco estao se lixando para os alunos.
    Pelo desempenho apresentado no ENEM eles estao ganhando muito e se acham que estao ganhando pouco porque nao procuram outro emprego para ganhar mais e desocupam o lugar para quem na realidade quer desempenhar algo de util para a sociedade.
    Para ganhar mais e preciso ter merito coisas que os mesmos nao demonstram.

  14. .....

    23 de setembro de 2011 - 09:38 - 9:38
    Reply

    Como ficam nosso filhos???
    Mais uma vez vitima da falta de compromisso desses “ditos” profissionais. Em vez de fazerem mais vitimas, pq não se aliam aos alunos, pais, responsaveis e comunidade, fazem uma grande manifestação. Assim chamariam mais atenção para seus problemas.
    Essa falta de estrutura na educação, salários baixos dos professores são consequencias da corrupção!

  15. Wendel Lima Bezerra

    23 de setembro de 2011 - 09:00 - 9:00
    Reply

    Para Karla Maues,

    É uma pena ouvir, ou melhor, ler uma mensagem como essa vinda de uma pessoa que se diz da educação. Só agradeço que até o momento esta senhora não tenha sido chamada para compor os nossos quadros, é só uma prova de que os que estão trabalhando nas escolas são mais competentes do que ela, pois pelo menos conseguiram ser aprovados e chamados pelo concurso.

    Esse discurso reafirmado por esta senhora não é nenhuma novidade, pois sabemos que em todos os ramos do trabalho há sempre alguém que prefere estar do lado do patrão.

    Wendel Lima Bezerra
    Coordenador Geral do SINTEPP

  16. Professora Katia condurú

    22 de setembro de 2011 - 23:05 - 23:05
    Reply

    Cara Co-le-ga:
    Sinto muito em decepciona-la,mas, agora é greve. Chega de pessoas com esse tipo de comportamento tipo o seu,mesquinho e cheio de despeito. Direito de greve é constitucional se vc não sabe. Bem nesse ponto acho que vc não deve saber de nada mesmo,já que prega o apelo da politica mais usada pelos governos a décadas para intimidar a classe trabalhadora. Ao invés de despejar seu ódio venenoso contra os trabalhadores em educação,por que vc não abre uma discussão em torno das condições de trabalho que hora está coloca ai prá todo mundo ver, Escolas caindo aos pedaços,sem o minimo de condições para atender a classe estudantil que sempre é beneficiada,pois o governo com essas manifestações da categoria também é obrigado a olhar o caos que estão as escolas ,pois, a luta nunca é só por sálario. Temos perdas à décadas,”Dona Karla Maués”.
    A senhora deve ser desse tipo que gosta de gozar com a cara de todo mundo. Deve ser mesmo uma fanfarrona que não sabe de nada e sai por ai falando bobagem aos quatro cantos. Seria bom agora vc fazer como os outros milhares de educador@s desse estado. Arregasse as mangas e vamos a luta.

  17. karla Maues

    22 de setembro de 2011 - 19:59 - 19:59
    Reply

    E quem vai pagar o pato mais uma vez serão os alunos.
    Eu acho que os professores deveriam fazer o contrário.
    Em vez de grevar , os professores deveriam se danar a trabalhar a fechar o ano com louvor. Aprovando o maior numero possivel de alunos e fazendo com que de destacassem no cenario nacional como otimos alunos..
    Todos diriam entao: ” Apesar dos salario miserável e das condiçoes precárias das escolas e das imensas dificuldades de deslocamento dos alunos, eis que os alunos dos municpios x, y e z foram vitoriosos”
    Não seria mais digno?
    Essa greve penaliza apenas o alunos. Os professores passam o tempo de greve se deliciando com Alter , e nem aparecem nas plenarias. Não estudam nem procuram melhorar sua didática.
    Sou pela demissão sumaria de todos os grevistas. Os concursados agradeceriam.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *