Governo do Estado inicia obra de mais uma ponte sobre o rio Acará, que ligará rodovia Belém-Brasília a PA-150

Governador Helder Barbalho acompanhou o início das obras de construção da ponte sobre o rio Alto Acará, na rodovia PA- 256, Região de Integração do Rio Capim.

A ponte terá 280 m de comprimento por 10 m de largura e será construída em estrutura de aço e concreto no trecho que compreende o entroncamento das PA-475 e PA-451.

“O investimento do Estado com recursos próprios permite que sejam feitos os asfaltamentos da estrada e a construção de duas pontes. Pontes que interligam o Rio Capim e o Alto Acará. Portanto com estas ações nós garantimos que essa região cresça mais e fortaleça a atividade econômica central”, enfatizou Helder.

Com investimento superior a R$ 47 milhões, o prazo para a construção da ponte sobre o rio Alto Acará é de 730 dias. A PA-256 interliga a Belém-Brasília à PA-150, unindo a região do Capim, do Vale do Acará e do sudeste do Estado, aproximando-as do porto de Barcarena.

“Uma obra que vai interligar o Capim de Paragominas a Tailândia na PA-150. Essa ponte tem um investimento de R$ 48 milhões. São 280 metros que vão facilitar principalmente o escoamento da produção pungente em dendê, fruticultura, agricultura familiar e fará com que as pessoas tenham uma rodovia mais segura, sem que percam tempo”, destacou o titular da Secretaria Executiva de Transportes (Setran), Adler Silveira.

Beto Faro, deputado federal, também acompanhou o ato de início das obras e destacou que a ponte é importante para comunidades como Calmari, que durante anos foram abandonadas. “Aqui se produz muito, mas não tinham mobilidade suficiente pra escoar a produção. Até para chegar a um hospital dos municípios era uma dificuldade tremenda. Mas ela (a ponte) não é só importante para os municípios do Acará e Tailândia, mas para região como um todo, porque integra aqui pela PA-256 toda a área da Belém-Brasília à PA-150”, destacou.

Imagem  do local onde será construída a ponte no rio Acará, que proporcionará a redução  de  distâncias,  baixar o preço do frete e melhorar a logística de transporte na região do Rio Capim.