Gestor do Hospital do Câncer de Barretos defende medida anunciada por Dilma para contratar médicos estrangeiros

Publicado em 30 de junho de 2013

 

 

Henrique Prata

Depoimento é de um dos médicos mais respeitados do país,  Henrique Prata, dono do Hospital do Câncer em Barretos, referência de tratamento da doença e uma das personalidades respeitadas no mundo pela sua dedicação no acolhimento a pessoas enfermas e ao tratamento gratuito que fornece a quem procura o hospital.

 

“A classe médica e a associação da classe médica sabem que estão tampando o sol com a peneira”, diz ele, em entrevista concedida à Rádio CBN, tratando da decisão da presidente Dilma Roussef autorizar a contratação de médicos estrangeiro.

No hospital de Barretos, Henrique Prata (foto)  lida  com cerca de 500 médicos,  contratados da instituição, pagando salário inicial em torno de R$ 18 mil.

Segundo ele, no interior, o salário oferecido a médicos sobre para R$ 30 mil, mas, mesmo assim, há carência de profissionais.

De acordo com o médico,  o deficit é causado não só pela ausência de médicos, mas também pelo crescimento e envelhecimento da população brasileira. “Existe uma falta de 70 e 80 médicos, entre especialistas e clínico geral. E eu vivo essa realidade porque eu atendo o SUS”.

Para se ter ideia, os três hospitais de  câncer mantidos por Prata atendem, diariamente, cinco mil pacientes. Não avançam mais no tratamento do câncer em decorrência da limitação de recursos humanos disponíveis hoje no país.

Categórico, o respeitado profissional de medicina  garante que a classe médica é responsável pela situação da saúde hoje já que há dez anos inibiu a criação de faculdades de medicina.

“Ela é 100% única responsável pelo falta de médico e agora está fazendo esse barulhão aí. Na Capital, existe médico muito mais para atender plano de saúde, convênios ou particular. Não para atender o SUS. O interior sofre com isso”.

Prata acredita que a medida da presidenta Dilma Rousseff, de trazer médicos de Cuba, vai sanar grande parte da demanda vivida hoje no Brasil. “Qual o problema de trazer profissionais de fora? É só orgulho? Eu não entendi qual o problema até agora”, questiona.

Vale a pena ouvir a entrevista do Henrique Prata.

O áudio da entrevista completa está aqui.