Gabirus engravatados

Publicado em 4 de abril de 2011

 

Falta de decoro e desrespeito à Constituição não são doenças degenerativas a corroer apenas a Câmara Municipal de Marabá.  Em Belém, essa enfermidade crônica está muito  bem personalizada na figura  do vereador Garvásio Morgado (PR).

O caratonha representa o que há de mais peçonhento  no legislativo da capital.

Se juntarem ele e mais uns seis vereadores de Marabá, o circo de escândalos e patifarias faria sucesso em qualquer arena de iguais.

Como se o local fosse cabaré de quinta categoria, Gervásio já foi flagrado bebendo cerveja  em plena sessão da Câmara, além de ser autor  da criminosa frase “quem não mandou estudar”, ao discursar sobre a profissão de pedreiros arriscando a vida nas construções de elevados prédios.