Fugindo da tragédia do Pacaembu

Publicado em 1 de setembro de 2013

 

 

charge_corinthians_flamengoÉ um pesadelo.

O sujeito dorme a tarde toda, acorda por volta de 18h30, e lembra: – Ih, o jogo do Flamengo!

Quando liga a TV, a tragédia, ao constatar a derrota.

Pior: goleada no lombo.

Tudo perde a graça.

O resto do  domingo.

A vontade de  zapear canais da  Sky passa longe dos canais esportivos.

Para tentar desanuviar o espírito esportivo, uma última tentativa.

– Será quanto foi o jogo do Águia?

No site da Rádio Clube está lá:    “Encerrado:   1 X 0 para o Azulão”.

Pequeno conforto n´alma.

No sábado, o Paysandu já havia definido praticamente sua volta a Série C, ao empatar com o Bragantino.

Começou dali as desconfianças de que o final de semana não seria legal para um torcedor que torce e ama seus clubes.

Instantes atrás, ouvi apenas o Mano Meneses absorvendo a peia  com uma frase oportuna.

 

    – Camisa, tradição e torcida não ganham mais jogo. Se você não tiver qualidade, organização, não vence.

Verdade.

Mas o Flamengo não tem qualidade, excluindo as exceções de sempre, Elias, entre elas.

O time quase todo é aquilo que se pode denominar  mediocridade  inoperante.

Porque há a mediocridade impositiva que apresenta bons resultados, embora seus efeitos não sejam encantantes.

A inoperante mediocridade do time do Flamengo faz dele um grupo sem raça, sem determinação para superar seus limites.

E nessa fase de reestruturação  da equipe em pleno campeonato, sei não.

Vai ser um sufoco escapar daquele chamado Z-4, a do rebaixamento.

Mas como o lugar do Flamengo não é ali, a Nação saberá elevar os ânimos da equipe.

A Nação sempre dá um jeito.

Como deu no Maracanã, desclassificando da Copa do Brasil o melhor time do Brasileiro.

————–

NB: só para lembrar.

O poster pegou no sono logo depois de assistir a Barcelona  3 X  Valencia 2.

O time da genialidade encontrou dificuldades para derrotar o adversário na casa deste.

Mas no campo tinha Messi (autor dos três gols) e o resto do time que joga por música.

Neymar jogou um bom primeiro tempo.

No segundo, caiu de produção, junto com todo o time catalão.