Hiroshi Bogéa On line

Freio de mão

 

 

Vez por outra, aparecem mensagens na caixa de comentários vinculando o assunto postado a um link  de página.

Jogada manjada para ligar os visitantes do blog a novos endereços da blogosfera.

Antes de publicar o conteúdo, o poster tem o cuidado de abrir o sítio para conhecer a qualidade do mesmo. Maioria dos casos, damos de cara com textos mal escritos e a qualidade, modo geral, da informação, suspeita.

O poster estimula os bons sítios da blogosfera, quer todo mundo ligado em espaço de ricas informações – principalmente as regionais.

Agora, potencializar baboseiras, sinceramente, não estamos dispostos a endossar.

Post de 

4 Comentários

  1. Paulo

    6 de setembro de 2011 - 18:17 - 18:17
    Reply

    O Estado é laico e religião é questão de foro íntimo. Religião deve ser aprendida e desenvolvdia no seio da família ou na própria entidade religiosa que se deseje. Ademais, se religião fizesse de algum mortal um santo não se veria tantos padres pedófilos e pastores enfiando a mão nos bolsos dos fiéis. Deixem que cada um cuide de sua religiosidade, além disso, as diversas igrejas e denominções religiosas existentes no Brasil já estão suficientemente maduras para cuidar de seus rebanhos provendo a necessária e adequada formação religiosa. Basta ver as Escolas Dominicais da Assebléia de Deus, os cursinhos da Igreja Católica e tantos outros ofertados por outras denominações e organizações religiosas.

    E antes que me chamem de ateu fiquem sabendo que acredito em Deus acima de tudo. Simplesmente não concordo com essa interferência do poder público nessa área da sociedade.

  2. Karla Muaés

    6 de setembro de 2011 - 12:20 - 12:20
    Reply

    O ensino religioso é fundamental na nossa formação!
    Qualquer que seja o credo, mas é importante que se mostre regras e determine limites pra evitar todo esse caos que vemos nas escolas hoje.
    Estupros de colegas de classe, agressões aos professores, depredação dos predios publicos, arrastão, desprezo pela familia, são todos problemas causados não so pelo desajuste familiar, assim como pela falta de uma orientação religiosa.
    Tudo com Deus fica menos dificil!
    Um abraço e paz nestes corações!
    E vem ai o Sairé!!!!

  3. Ailton

    5 de setembro de 2011 - 23:28 - 23:28
    Reply

    O ATUAL MODELO DE ENSINO RELIGIOSO DO PARÁ

    O Ensino Religioso, garantido no art. 210, § 1°, da Constituição Federal de 1998 e no art. 33, da Lei nº 9.394 (LDBEN/1996), alterado pela Lei nº 9.475, é parte integrante da formação básica do cidadão, sendo assegurado o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil.
    Entretanto, no Pará, essa área de conhecimento (Resolução nº 02/1998 – CNE/CEB), que integra o currículo da base nacional comum na educação básica (Resolução nº 04/2010 – CNE/CEB), não se tem observado as diretrizes legais que regem o magistério para os anos finais do ensino fundamental, onde se destaca que a formação nesse nível de ensino é ministrada por docente legalmente habilitado em curso de licenciatura plena superior (art. 62 e 63, da LDBEN), ora reafirmado no art. 7, da Resolução nº 325/2007 e art. 137, inciso III, da Resolução nº 01/2010, ambas emitidas pelo próprio Conselho Estadual de Educação do Pará.
    Outro problema consiste sobre o lugar ocupado pelo Ensino Religioso na escola, ou seja, não há entendimento de muitos sobre o valor e a contribuição desse componente curricular na formação integral dos alunos, por isso é que tem sido encarado de qualquer maneira pelo sistema estadual de ensino, que insiste em manter qualquer pessoa na escola, conforme planilha de informação acerca dos professores que atuam com o Ensino Religioso, encaminhado ao Ministério Público do Pará, em fevereiro do corrente ano, pela SEDUC/PA.
    Nas escolas da rede estadual de ensino, ministrando aulas de Ensino Religioso encontramos de tudo e muito poucos professores habilitados para isso. Hoje lecionam Ensino Religioso pedagogos, língua portuguesa, magistério 1º e 2º grau, estudos adicionais, ciências sociais,Bacharel e técnicos em contabilidade, história, ciências, matemática, geografia, engenharia, administração, secretária, diretor, teologia, educação artística, direito, aluno, educação física, educação artística, filosofia, orientador, entre outros.
    Segundo a Associação de Professores de Ensino Religioso do Pará (ACREPA), “o que nos chama atenção é ao fato de possuirmos o primeiro curso de licenciatura plena numa universidade pública do Brasil que habilita docentes para o Ensino Religioso desde 2000, o curso de Ciências da Religião (UEPA), todavia, o próprio Estado faz resistência quanto à realização de concurso público (prometido desde 2008) e a contratar esses profissionais legalmente habilitados, mantendo na rede estadual de ensino qualquer pessoa”.
    Essa situação ilegal mantida na educação local está prevista no relatório elaborado por Farida Shaheed para o Direito à cultura, apresentado à Organização das Nações Unidas (ONU) neste ano, onde se destaca que “a intolerância religiosa e o racismo persistem na sociedade brasileira”, principalmente contra as religiões de matriz africana, e aponta as contribuições do Ensino Religioso paraense, dentre os 11 estados citados.
    Isso é decorrente quando o Ensino Religioso passa a ser encarado por pessoas de qualquer nível de ensino e de qualquer área do conhecimento, uma vez que, conforme a ACREPA, cada área do conhecimento precisa ser assumida por cada profissional legalmente habilitado, como é destacado na mídia, pois quando se trata do médico, do advogado, do engenheiro, do arquiteto, todos cobram sobre sua total responsabilidade, mas quando se trata da educação brasileira pensa-se ao contrário, como consta na planilha da SEDUC/PA, onde qualquer pessoa pode dar aula de ensino religioso, menos o profissional legalmente habilitado, implicando no modelo de Ensino Religioso prosélito, catequético, doutrinário e teológico, contrário daquele defendido pela ACREPA.

    ACREPA

  4. Zé Dudu

    5 de setembro de 2011 - 21:57 - 21:57
    Reply

    Caro Hiroshi, confirme ai mas tudo indica que o ex-deputado Claudio Almeida (PR) assumiu hoje a secretaria de agricultura de Marabá, não consegui contato com ele mas o papo aqui em Parauapebas é forte.

    Abraço e parabéns pelo trabalho!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *