Fraudes eleitorais

Publicado em 19 de julho de 2012

 

 

Se o pôster  fosse o juiz eleitoral de Marabá,  submeteria alguns candidatos a vereador a um teste de alfabetização.  Só para medir a profundidade do poço que separa o hilário dos verdadeiros interesses públicos.

Pela Constituição, sabe-se, brasileiros analfabetos não podem concorrer a cargos eletivos. Olhando a lista dos quase quatrocentos candidatos a vereador, há  indícios de que muitos não sabem ler nem escrever.

Bastava fazer o seguinte: botar os caras para lerem  três linhas da Constituição Federal.

Só isso.

Durante a campanha, anotem, estaremos assistindo a uma fraude eleitoral com o registro de algumas  candidaturas.

E o pôster não consegue imaginar que motivos sinistros e estranhos movimentam o Poder Judiciário em encobrir tal situação.

Não temos nenhuma dúvida:  se fosse César Lins, o “pitbull”  da Comarca Cível, juiz eleitoral desta eleição, ele não pensaria duas vezes em proceder dessa forma.