Fique Ligado! IBGE abre editais de concursos para mais de 200 mil vagas. No Pará são quase 7 mil vagas

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou dois editais de processos seletivos para o total de 206.891 vagas temporárias para o Censo 2022

No Pará, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) está ofertando quase 7 mil vagas temporárias para o Censo 2022. No Processo Seletivo Simplificado (PSS) serão contratados servidores em todo o Brasil.

Só no Pará, serão 6.121 recenseadores contratados, além de 59 Agente Censitário de Administração e Informática (ACAI); 190 Agentes Censitários Municipais (ACM); e 606 Agentes Censitários Supervisores (ACS).

As empresas selecionadas para realizar as seleções desses quatro editais foram a Fundação Getúlio Vargas (FGV), para os cargos de ACM, ACS e Recenseadores; e o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC) para o cargo de Agente Censitário de Administração e Informática (ACAI).

Ficou assim divididas:

  • 183.021 vagas para a função de Recenseador: remuneração de acordo com a produção; taxa de inscrição de R$ 57,50;
  • 18.420 vagas para a função de Agente Censitário Supervisor: salário de R$ 1.700; taxa de inscrição de R$ 60,50;
  • 5.450 vagas para a função de Agente Censitário Municipal: salário de R$ 2.100; taxa de inscrição de R$ 60,50.

Há vagas em todos os municípios do país. A Fundação Getulio Vargas (FGV) é a empresa organizadora do processo seletivo.

As inscrições para todos os cargos poderão ser realizadas a partir de 16h desta quarta-feira (15) até as 16h de 29 de dezembro no endereço https://conhecimento.fgv.br/concursos/ibgepss21.

As inscrições nos processos seletivos de 2020 e 2021 não são válidas para o novo do Censo 2022. Os interessados deverão fazer nova inscrição e pagar a taxa para participar desse novo processo seletivo – leia abaixo sobre a devolução das taxas das seleções canceladas.

O candidato poderá obter informações referentes aos novos concursos por meio do telefone 0800-2834628 ou do e-mail ibgepss21@fgv.br.

IBGE lançou na terça-feira (14) outros dois editais para contratação temporária para o Censo Demográfico 2022, com o total de 1.812 vagas.

São 1.781 vagas para Agente Censitário de Administração e Informática e 31 para Coordenador Censitário de Área, ambos de nível médio de escolaridade.

Recenseador

 

Para a função de recenseador, é exigido ensino fundamental completo.

O recenseador é o responsável por fazer o trabalho da coleta de dados por meio de entrevistas com os moradores.

A previsão de duração do contrato é de até 3 meses, podendo ser prorrogado, com base nas necessidades de conclusão das atividades do Censo Demográfico e na disponibilidade de recursos orçamentários.

A remuneração é calculada por produção, com base:

  • no número de unidades visitadas
  • na taxa de remuneração dos setores censitários
  • no número de questionários respondidos
  • no número de pessoas recenseadas

 

A remuneração do recenseador é variável e não há um piso nem um teto de quanto ele poderá receber – quanto mais entrevistas realiza, quanto mais coletas ele faz, mais ele recebe.

O candidato poderá simular valores de remuneração por meio de link disponível no endereço https://censo2022.ibge.gov.br/trabalhe-no-censo/estimativa-de-remuneracao.html.

Para estimar a remuneração, basta informar o município e a quantidade de horas que pretende dedicar ao trabalho. O coordenador de Recursos Humanos do IBGE Bruno Malheiros, explica que a taxa de remuneração varia por diversos fatores, entre eles, o acesso ao setor censitário, que é o local onde estão localizados os domicílios visitados.

“Por exemplo, um recenseador que atua numa área urbana tem mais facilidade de locomoção do que um recenseador que for visitar domicílios em uma comunidade ribeirinha isolada”, explica Bruno Malheiros.

O recenseador não tem horário fixo. Espera-se que dedique ao menos 25 horas por semana, inclusive nos feriados e finais de semana.

“Quanto mais domicílios visitar e pessoas entrevistar, maior a remuneração. O recenseador pode trabalhar em qualquer horário, especialmente naqueles em que pode encontrar os moradores em casa, incluindo finais de semana e feriados”, acrescenta Malheiros.

Em média, há 300 domicílios por setor censitário. O tempo de coleta de um setor varia segundo suas características e o tempo diário que o recenseador dedica ao trabalho. É possível que um recenseador consiga completar mais de um setor ao longo do período da coleta.

O recenseador também terá direito a 13º salário e às férias proporcionais aos dias trabalhados e à produção.

Os candidatos devem escolher, no ato da inscrição, a área em que desejam trabalhar. Essas áreas podem corresponder a um ou mais bairros, ou a comunidades.

Por exemplo, para a cidade do Rio de Janeiro há 6.480 vagas em 70 áreas de trabalho, inclusive em comunidades como Complexo da Maré (120 vagas), Vigário Geral (113), Rocinha (65), Complexo do Alemão (60), Cidade de Deus (35), morro do Borel (8) e Vidigal (6).

O objetivo é que os moradores dessas áreas se inscrevam no processo seletivo para poder atuar nas imediações de suas residências. Assim, o IBGE contará com recenseadores ambientados à sua região de trabalho.

Os recenseadores aprovados no processo seletivo terão treinamento com duração total de 5 dias e carga horária de 8 horas diárias, composto por duas etapas: autoinstrução (leitura prévia do Manual do Recenseador) e curso presencial.