Filas quilométricas no entorno do Hangar revelam a realidade da Covid-19 em Belém: quadro de dramaticidade

Publicado em 4 de março de 2021

Na manhã desta quinta-feira, 4, quem passava à frente do Hangar, em Belém, imaginava estar assistindo a um filme antigo.

A imensa fila formada no entorno do centro de convenções da capital lembrava  a dramaticidade vivida pela população de Belém  um ano atrás.

Centenas de pessoas se aglomeravam em filas em busca de consultas para confirmar ou não sintomas da Covid-19.

Dentro do Hangar, médicos e assistentes  trabalhavam carregados de estresse para dar conta da demanda, enquanto fora do prédio pessoas das mais variadas idades demonstravam inquietação, preocupação e, em alguns casos,  desespero.

Pará vive um aumento acelerado de mortes e novos casos da doença.

O último balanço da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) registrou 1.570 casos da doença, com 48 mortes. Com isso o Pará chegou a 369.880 casos confirmados da doença desde o início da pandemia.

Na última terça o consórcio de veículos de imprensa divulgou dados que colocaram o Pará como o segundo estado da região Norte com maior número de mortes por covid-19 nos últimos sete dias, uma alta de 53%. O Portal Roma News buscou junto à Sespa informações sobre o atendimento na policlínica do Hangar e aguarda retorno.